Minha esposinha Bianca – A hora chegou

Após a confusão que se instalou na minha sala, passei cerca de 20 minutos meditando sobre tudo o que havia acontecido. Busquei compreender a reação de Bianca ao sair em silêncio no final do episódio, a mesma reação de Jean.

Qual é o aspecto mais relevante? Era necessário que eu compreendesse, por mim mesmo, como agiria a partir de agora? Aqueles 20 minutos me fizeram ter a certeza de que a primeira ação a ser tomada seria entrar no nosso quarto e conversar com minha esposa. Assim, fiz.

Ao chegar ao quarto, encontrei-a deitada na cama, enrolada num lençol. Parecia um caramujo encolhido. Sentei-me na borda da cama e fiz um carrinho na sua cabeça. Perguntei.

Como vai você? Ficou incomodada com alguma situação? Poderia, meu amado.

Não estou apavorada com a sua atitude, apenas tentando compreender tudo isso. Fiquei um pouco confusa, talvez por conta de um pouco de tudo, como tesão, medo,vergonha e raiva. Não sei explicar isso, Jorge.

Bianca, de alguma forma, sou responsável por tudo isso. Estou incentivando esse fetiche. Também sinto um pouco de tudo isso que você mencionou. São essas coisas que me despertam todo esse tipo de sentimentos. Como falei, sinto tesão ao ver você sendo desejada por outros homens, e, como você disse, senti uma química com Jean. Resolvi deixar isso acontecer, sem programar nada. Esse jogo foi me expondo e, hoje, tive a oportunidade de viver esse momento. Agora, não quero mais te querer. Prefiro não continuar.

JORGE, tive um relacionamento liberal recentemente, mas não tive experiência anterior. Ouço falar sobre relacionamentos liberais, mas não tenho aprofundamento sobre o tema. Notei, pelas suas reações, que você se exagera em algumas provocações.

Deixei-o fluir. Os últimos dias foram intensos e tive uma experiência muito intensa com este jogo. Contudo, não sei estabelecer o limite que você impôs. É difícil para uma mulher, mas é extremamente excitante. Mas também é frustrante. Não sinto amor pelo Jean. Tenho plena certeza de que aprendi a te amar, mas será que não fico louca de desejo por tudo que tenho feito com ele? Não seria mentiroso se dissesse o oposto. Estabelecer limites para que as coisas ocorram é contraditório para mim, uma vez que estávamos juntos, mas isso é apenas o que penso.

Não se trata de uma proibição, mas sim de limites. Não quero perder o controle da situação. Precisamos nos unir para tomar decisões coletivas hoje? Uma barreira foi quebrada, o que é bastante relevante. Senti muita vontade de ver vocês trepando, mas senti medo. Não vou mentir.

Não compreendo o medo, mas tudo bem. Vamos descansar, estou morta de sono, já são sete horas da manhã.

Após o diálogo com Bianca, adormecemos e só acordamos às 13 horas. Na verdade, acordei primeiro e fui preparar um café para minha princesa. Ela já se movimentava pela cama e se espreguiçava lentamente. Levei uma bandeja com frutas, queijo quente e café. Ela agradeceu e ficou comendo enquanto conversávamos. Ela olhou para o seu celular e viu um apito de mensagem. Ela olhou e puxou para ver quem era. Leu a mensagem e mostrou-me o aparelho. Era um bom dia de Jean.

Boa noite, Jean. Como vai? Estou despertando agora. Jorge está aqui ao meu lado. Estamos tomando um café. Alguma ocorrência? A chamada está no vivo voz, o que significa que ele está ouvindo tudo.

Boa tarde, Jorge. Peço desculpas pelo atraso no horário. Apenas gostaria de saber se seria possível sair para comer fora. O que acham?

Jean pareceu surpreso com a atitude de Bianca em me chamar para a chamada. Ele ficou tão desconcertado que gaguejou na chamada. Bianca fez um sinal para que eu respondesse. A atitude de Bianca me deu confiança. Se o nosso vizinho tinha a intenção de fazer algo escondido com minha esposa, a atitude dela foi um balde de água fria. No entanto, eu precisava responder à pergunta dele.

Bom dia, Jean. Você resolveu tentar me impedir do convite do amigo? Olhe… Então, acordamos agora e ainda estamos espertos. Em breve, retornaremos para você.

Bianca respondeu que preferia ficar em casa, pois estava com preguiça de sair, se fosse para comer algo? Ela também não demonstrou interesse em ir à cozinha. Seria mais adequado solicitar algo para entregar em relação à participação de Jean no almoço? Ela pediu para que eu tomasse a decisão, pois não queria tomar a decisão por nós.

Fiquei pensando e respondi.

Está bem, ficamos em casa e pedimos algo diferente. Podemos assistir a uma série e descansar. Chamamos o Jean para não fazer desfeita. O que acha?

Jorge, ontem à noite deixamos algumas coisas bem claras. Você sabe que, caso o Jean vier, ele terá intenções de fazer algo, ainda mais depois do que ocorreu ontem, mas, se quiser, corra o risco.

Já lhe disse que sinto muita vontade de te ver trepando gostoso com outra pessoa, e isso vai acontecer. Pedi-lhe paciência. Preciso me acostumar com tudo isso e, quem sabe, isso possa acontecer hoje.

Não quero repetir o sofrimento de ontem, como falei para você. É extremamente angustiante chegar a esse ponto e parar. Todo esse jogo é extremamente excitante. Como sou uma mulher e não sou de ferro, seu Jorge, não sei se devemos iniciar mais um dia de castigo.

Tenho a certeza de que você não precisará suportar esse sofrimento, basta deixar fluir, uma coisa de cada vez. Se surgir um clima favorável, prometo que não interferirei. Sinto que você está muito entusiasmado.

Gostaria de saber se você está presente. Se não houver, não será possível iniciarmos.

Entendi o recado de Bianca, e eu também tinha muita curiosidade e desejo de viver esse momento, preferi apostar no que ia dar, retornei a ligação para JEAN, e falei que a gente preferia ficar por casa mesmo, descansando e vendo filme, ele estava convidado para se juntar a gente, iríamos pedir comida para todos, ele agradeceu o convite e disse que só ia tomar um banho e subiria, nós fizemos o mesmo e fomos para sala, meia hora depois nossa campainha tocou,eu fui atender, era Jean vestido discretamente com uma bermuda até o joelho e uma camisa pólo, usava um perfume bem gostoso, ele foi entrando e nos cumprimentando educadamente, nem parecia aquele homem que havia saído de minha sala hoje pela manhã, ele e Bianca se cumprimentaram apenas com sorriso amarelo e um aceno com as mãos, reparei um certo incômodo por parte dos dois, não sei se era vergonha ou resguardo momentâneo, deixei rolar e não forcei nada de início, ele sentou no sofá, enquanto Bia ainda ajeitava uma jarra de suco de laranja para gente, vestida apenas num micro short branco de algodão e uma blusinha de alça, eu perguntei aos dois se eles já estavam com fome,ou eu deixava para pedir algo mais tarde, afinal de contas ,todos tinham acabado de tomar café do meio dia, os dois disseram que mais tarde, então sentei no tapete enquanto Bianca veio trazendo uma bandeja com a jarra de suco e os copos, todos acomodados passei o controle para Bianca escolher o programa, ficou zapeando no controle escolheu uma série de ação, os dois se olhavam muito timidamente, me sentei no tapete encostado no sofá, enquanto Bianca já foi deitando sua cabecinha no meu colo, deixando sua bundinha lisa virada para o lado de Jean, como todos sabem, esses shorts de algodão vão entrando no rabinho , claro que Bia fez aquilo de propósito, notei já uma certa inquietação de nosso vizinho, o clima ainda era bem formal, e claro que só iria começar a mudar, dependendo da audácia dos dois, até aquele momento nada muito fora da normalidade, a tarde foi caindo, resolvemos pedir comida, dar uma pausa na série

Pedimos um peixe com alcaparras e verduras no vapor, os alimentamos e retornamos para a segunda parte da sessão cinematográfica. Eu e Bianca fomos antes fazer a higiene bucal e, logo depois, voltamos às nossas posições. Depois de um tempo, resolvi tentar acender um pouco aquela sessão de cinema. Enquanto assistíamos ao filme, comecei a fazer um carinho na bunda de Bianca. Ela me olhou de imediato, sorriu e começou a beijar. Enquanto isso, percebi que Jean ficou meio desconcertado.

AMOOR, estou muito interessado em uma brincadeira entre vocês, você gostaria? Você está disposto?

Se for para permanecer naquele chovendo sem chuva de ontem, prefiro não iniciar Jorge.

Sei que é difícil, mas estou disposto.

Você está ciente? Não há mais volta.

Sim, tenho a propriedade.

Está tudo bem? Gostaria de solicitar que nos deixassemos a sós por um tempo. Percebi um ar meio retraído, acredito que foi por volta de ontem. Em breve, você nos ligará.

Sim, está tudo bem. Daqui a pouco vou ao banheiro.

Esse meu diálogo com Bianca foi enquanto nós beijavamos, falávamos bem baixinho, Jean até ficou tentando entender, mas estava mais concentrado no traseiro de minha esposa, ficamos mais um tempinho se acariciando, até que me levantei e avisei que iria ao banheiro, enfim os dois ficariam a sós, demorei uns 5 minutos , não precisou mais do que isso, para que quando eu retornasse encontrasse os dois deitados no tapete se beijando, pareciam dois namorados, fui chegando devagar ,e os dois só me olharam e voltaram a se beijar, não demorou muito, até que Bianca e Jean se levantaram e começaram a se despir no meio da sala, aos beijos e carícias, em segundos já estavam nús no meio do tapete, ela foi se ajoelhando beijando o tórax de Jean, até chegar na cabeça de sua pica,ele batia com seu pau todo babado no rosto de minha adorável esposa, ela começou a me olhar maliciosamente e chupar nosso vizinho, ele então com muito tesão também foi se ajoelhando e beijando os seios de Bianca, depois posicionou Bianca de quatro, foi até a bunda dela e começou a lamber igual um cachorro, ela dava gritinhos de tesão, ele abria as ancas da.bundinha de Bianca, procurava o cuzinho para passar a língua, depois alisava com a ponta do dedo indicador, eu vendo minha mulher de quatro,com a marquinha de bronze no seu rabinho sendo explorada por Jean,era a cena que eu mais esperava, ela continuou gemendo e me chamou com a voz trêmula.

___ Vem aqui meu amor, deixa eu segurar na sua mão, vc tá vendo o Jean me chupando? Era isso que vc queria amor? Mais vc sabe que hoje a gente vai fuder gostoso , e vc vai ficar só olhando, vc quiz mexer com fogo? Agora tem que aguentar meu corninho safado.

Ela falou aquilo,e eu só fiquei com mais tesão, sem aguentar eu baixei minha bermuda e fiquei em pé olhando Jean chupar minha mulher, ela começou a me punhetar por um breve momento,depois voltou a se concentrar em seu amante.

Jean foi buscando se deitar e ficar em baixo de Bianca, ela montou com a buceta na cara de Jean, e foi se inclinando para pegar no cacete que babava, iniciaram então um 69 lento e caprichado, Jean esfregava sua língua da buceta até o anelzinho de minha mulher, ela começou a dar sinais de que estava tendo seu primeiro espasmo de gozo, não demoraram muito, Bianca começou a descer seu corpo,ela buscava sem o menor pudor, sentar na vara de Jean, de costas para ele, e olhando para mim, ela falou.

____ Amor… eu quero trepar agora, vc vai deixar sua esposinha trepar com nosso vizinho tarado?

Eu apenas balancei com a cabeça, dizendo que sim, então ela levantou um pouco seu corpo, ficando de joelhos e de costas para Jean, segurou na madeira de nosso vizinho, e foi sentando vagarosamente, sua buceta encharcada foi engolindo cada centímetro do pau de Jean, ela olhou para traz, para ver o rosto de seu amante, após sentar até o talo, ela só deu uma reboladinha safada, e começou a cavalgar lentamente, nesse momento os dois começaram a gemer e falar putaria, Jean segurava na cintura de minha mulher tentando ajudar ela a cavalgar.

____ CARALHOOOO, que tesão de mulher , como eu tava maluco pra enterrar meu cacete nessa safada gostosa, isso … pode pular, senta gostoso na minha vara sua putinha gostosa.

___ Aiii, seu filha da puta, tu que é um safado, querendo comer a mulher do seu amigo, tá vendo meu amor? Tá vendo o Jean me comendo, agora já era meu corninho, sua mulher tá dando pra outro, come Jean, come gostoso a esposa do seu amigo, aiii que tesão de pica.

Os dois seguiram naquela posição, até que Jean foi se arrastando para trás, a procura do encosto do sofá, ele se encostou e virou Bianca para ficar de frente para ele, o pau nem saiu, agora ela estava montada no cacete de Jean, mas seus rostos estavam frente a frente, ficou bem encaixado, os dois começaram a se beijar enquanto trepavam lentamente, Bianca subia seu tronco, e a buceta ficava mordendo só a cabeça da pica de nosso vizinho, depois ela descia vagarosamente, Jean levava sua mão até o cuzinho de Bianca, ela então com muito tesão começou a galopar com mais velocidade, e gemer mais alto, até que reparei que havia chegado seu segundo gozo, Jean sabendo disso, saiu debaixo de minha mulher ,se levantou e apertou a cabeça de seu pau, pegou pela mão dela e a levantou, começaram a se beijar brevemente, então ele conduziu Bianca até o assento do sofá, e posicionou minha mulher de quatro pé, punhetou seu cacete, abriu as ancas da bunda dela, deu uma cuspida no cú dela, e esfregou a saliva, ela se virou para trás e falou.

___ Aí não Jean, ainda não, eu nunca dei nem para meu maridinho, hoje não.

Jean então sem deixar o clima parar, pegou seu pau e foi penetrando na buceta molhada de minha mulher, ela arrebitou sua bunda, segurou no encosto do sofá e olhou para mim.

___ Tá gostando Jorge,? Olha o estrago que o Jean tá fazendo com sua ESPOSINHA, tá vendo esse safado me comendo meu amor?

___ Tô sim sua safada, tu Tava louca para dar p ele neh? Sua putinha casada, tá gostando meu amor?

____ Tô sim, nosso vizinho é bom de cama meu corninho.

Jean escutando nosso diálogo, não conseguiu mais se controlar, a acelerou as batidas com seu membro na buceta de Bianca, deu umas estocadas nervosas e anunciou seu gozo, ela disse que ele podia gozar dentro, então ele encheu a buceta de minha esposa de LEITE,

Cansados os dois caíram no sofá exaustos, ficamos todos em silêncio por um tempo, até que ela se levantou e veio até mim, me abraçou e me deu um beijo que a tempos eu não recebia.

Jean se levantou, e pediu para usar o banheiro, fiquei olhando para o rosto de minha mulher enquanto nos beijávamos, demos uma risada seguida de um abraço, estava concluída a nossa primeira loucura.

O QUE VIRA DAQUI PARA FRENTE? SÓ O PRÓXIMO EPISÓDIO VAI ESCLARECER.

O que você achou desse conto erótico?

Clique nas estrelas

Média da classificação 0 / 5. Número de votos: 0

Nenhum voto até agora! Seja o primeiro a avaliar este conto.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *