É a Minha Filha

É a Minha Filha

É a Minha Filha: Enquanto o marido e a esposa se divertiam no banheiro, a filha precisou usufruir do ambiente. Ela desperta a atenção dos dois, mas eles continuam tendo relações sexuais ali mesmo, sem se importar. A situação em discussão desperta o interesse da garota, que logo demonstra interesse em participar.  

Comi a gordinha gostosa

Eu sou casado com Alê, uma menina deliciosa, que começou a ser infantil e foi para casa da mãe. Fiquei muito mal à noite em casa sem fazer nada. Um primo me ligou. Ele é primo da minha primeira esposa, mas não nos consideramos primos. Esse primo foi aquele que eu contei sobre ele ter deixado a amante na minha casa pra esconder da namorada e eu comi ela. Eu recebi uma ligação do meu primo dizendo que você está sozinho. Eu respondi que sim. Vem cá em casa, estamos conversando. Fui, imaginei amigos, mas chegaram três mulheres, Bia, Tereza e baiana. Tereza tem 55 anos, 1,70m, 50 kg, cabelos carapinha, seios e rabo M, morena clara.

Os Simpsexys 09 – A Versão da Filha

Os Simpsexys 09 – A Versão da Filha

Os Simpsexys 09 – A Versão da Filha: Homer enfrenta uma situação difícil, pois, por um lado, vê sua esposa tendo relações sexuais com o diretor da escola, enquanto, por outro, está comendo a própria filha. Uma observação relevante: qualquer uma das hipóteses apresentadas acima não corresponde à realidade.  

Fodendo a amante do meu primo

Eu tive um desentendimento com Alê e ela foi para casa da mãe, me deixando sozinho. Meu primo mora sozinho, namora Simone há 20 anos e come Ana 40 anos, madrinha de casamento dele. Ana é uma mulher de 1,80m e pesa 90 quilos. Ela é rabuda, tem um peito M, é branca e tem cabelos pretos nos ombros. Na sexta-feira à noite, Ana foi à casa dele, mas a namorada dele avisou que iria. Ele ficou triste, veio até minha casa com a namorada e perguntou se ela poderia ficar por um tempo até ele abandonar a namorada. A gostosa enorme de calça jeans apertada, coladinha, camisa manga longa e bota cargel. Ele é amigo, falei pode sim, ela entrou e disse daqui a pouco te busco. Fiquei dentro com ela. Comecei a observar a gostosura dela.

Encoxou minha esposa na minha frente

Hj resolvi contar uma passagem que aconteceu comigo . Casado com Alê 31 anos , branca , seios G e rabo M , cabelos longos , não muito magra mas gostosa meiga . Ela metia bem comigo mas começou a regular , eu desconfiando , mas ela resolveu que queria mexer nos peitoes tipo turbinas mais pra ficar empinados. Eu falei estão bons assim , deste jeito que quero , dá pra mamar , fazer espanhola e gozar no seu rostinho . Ela falou vai cagar eu quero empinados , minha vizinha uma negra gostosa pra caralho, dos peitoes havia feito uma redução dos peitos com um profissional da área , conversando com ela, a mesma indicou ele. Resolvemos marcar com este profissional , tudo certo marcamos , minha esposa só usa fiozinho , neste dia ela tomou um belo banho , vestiu um fio , um vestido soltinho e um salto . Fui levar ela , chegada nossa vez entrei junto , o profissional é um coroa de uns 50 anos , mandou sentarmos , preencheu um questionário . Ele se levantou com um pincel atômico na mão foi pro canto da sala chamouinha esposa , ela se levantou e foi até ele . O fdp em pé falou pra ela fica de frente pra mim reta , assim ela o fez. Eu olhando , ele falou tire o vestido senhora , ela me olhou eu fazer o que.

Comendo o cuzinho de um macho

Tenho a convicção de que muitas pessoas apreciam esta experiência. Não a repeti mais, pois ela foi única até o presente momento. Trabalho em um supermercado, localizado na parte de cima da residência do proprietário. O meu patrão tinha um filho solteiro, Lú, de 25 anos, cor branca, cabelos aloirados, boa pinta, personalidade e educação. Nos fundos do mercado, há um corredor em direção à sacada da casa. Geralmente, vemos o Lú lá em cima. Ao adentrar a porta dos fundos, ouvi um chamado. Era o Lú. Ele solicitou que eu trouxesse um shampoo e um condicionador seda para mim. Por gentileza, traga-me. Informei que estava terminando um trabalho e, logo em seguida, apresentei a conclusão desta tarefa. Peguei os produtos e subi as escadas. Subi as escadas e toquei a porta da sala. Ele gritou, vindo da cozinha. Dei uma volta pela sacada e fui até a cozinha. Bati no vidro e ele disse: entra. Adentrei a cozinha, coloquei os itens na mesa e sai. Ouvi ele dizer: trás aqui. Ele estava no quarto dele. Peguei os produtos e os levei até o início do corredor que dá acesso aos quartos e banheiros. Depois, falei aqui sobre o shampoo e o condicionador.

Mulher do vizinho fode na rua

A esposa do meu vizinho estava se exibindo para mim. O bairro novo apresenta uma grande quantidade de vegetação, poucas residências, ruas de terra e iluminação precária. Durante a minha jornada de trabalho, percebi rastros de pneus de carro, pés de pessoas e papéis higiênicos espalhados pelo chão. A curiosidade desperta a minha curiosidade. No bar, passei a noite jogando e desci para casa. Lá, encontrei um amigo de trabalho. Parei para conversar, pois ele estava bastante escondido na escuridão na esquina da rua onde moro. Ele disse que está atento à minha nora. Acredito que ela esteja traindo o meu filho. Imediatamente, imaginei que o homem estivesse comendo a Eliana na rua de cima. A Eliane é casada com Sidnei. Moram na mesma rua que eu. Ela é branca, tem 170 cm, pesa cerca de 80 kg, é gorda, coxuda, rabuda e peitos G. Anda de micro shortinho, mini salinha ou vestidinho curto. A roupa dela é tão justa que parece que vai explodir. É muito gostosa. O sogro não conseguiu pegar ela fodendo com outro. Ela quis dar para mim, mas eu comia a outra vizinha. À noite, no terreiro, percebi a luz de um carro em uma rua deserta. Fui pelo meio dos terrenos baldios.

Esposa implorou pra tirar o pau do cuzinho dela

Aqui está um relato de algo que a maioria dos homens aprecia. Sou casado com a deliciosa Alê, de 1,70m, 54 kg, branca, com cabelos castanhos e longos a partir do bumbum, seios G e rabino M, com 31 anos de casado. Ela é uma gata de traços rotineiros finos, fala mansa e é dengosa. Sempre percebi quando outros homens babavam na nossa esposa, isso sempre percebi devido ao trabalho dela. No entanto, é verdade que gostamos de ter alguém que nos atraia, e eu tenho, mas sempre mantenho um respeito mútuo com minha esposa. Chupava e comia a bucetinha e o cuzinho ao mesmo tempo. Na noite anterior, eu estava sentado em uma cadeira de área e ela na outra do lado. Surgiram conversas sexuais, como eu disse, quando fico dias sem foder, tenho vontade de foder você por completo. Ela riu, falou sério até o meu cuzinho, falei que o cuzinho é mais excitante. Ela disse: “Safado, você quer comer o meu cuzinho, sou virgem no cuzinho”.

Punhetei e gozei perto da tia e prima da esposa

Fui à residência da tia da minha esposa por volta das 19 horas. A Meire prima da esposa estava em casa. A esposa estava afastada há dias e eu estava louco para foder a Meire. No entanto, como já falei, já dei umas encoxadas nela, mas a cachorra grita e dá medo. A cachorra fala uma verdadeira sacanagem. Meire estava de shortinho curto, com coxas grossas e um rabo delicioso. Eu estava louco para comer, mas a mãe dela não investiu. Às 20 horas, adentrei um portão lateral da residência, que dava para um terreno baldio com pouca iluminação. A cerca de balaustra está cercada por plantas que cobrem a iluminação. Eu estava sentado no lado externo do terreno baldio, com a tia no portão e a Meire no outro lado da cerca. As coxas eram lindas e, às vezes, o rabo dela ficava duro. A conversa continuava e eu, duro como ferro, de short esportivo e incorreto pelas plantas, fui louco. Subi a vara pelo short e comecei a punhetar a menos de um metro de distância. Quando olho as coxas, o rabo fica mais duro. Encostado nas plantas que alcançam a minha cintura, bato uma punheta com cautela enquanto converso com a mãe e a filha. De frente para Meire, aliso com cuidado o alisamento do pau, imaginando-se comendo-a. Sabendo que é gostosa, faz movimentos com as coxas e o rabo, de forma que a porra ferve dentro das bolas.

Minha cunhada no banho

ASSUNHADA. Conto autêntico Acredito que a maioria dos homens tem uma cunhada e sente tesão em foder com ela. Esse conto eu precisava relatar. Quando me casei, minha esposa era uma moreninha baixinha, mas muito gostosa. Minha cunhada era uma branquinha magrinha deliciosa. Eu era louco para comer a cunhada. Isso é uma tara de todos cunhados, é um desejo frouxo. Se você tem uma cunhada ou cunhado, saiba que ele está interessado em você. A casa era de madeira e fui morar em dois cômodos interligados à residência da sogra. Uma parede do banheiro era divisa com a minha cozinha. À noite, minha esposa ia assistir televisão com a mãe dela e eu ficava. Logo, ouvia minha cunhada dizer vou tomar banho. Isso já me deixava louco de tesão. Foi então que decidi: tenho que assistir ela tomando banho.

Gozei na prima da esposa

Ele é casado com Mariazinha e tem duas primas maravilhosas, uma delas a Meire, que é extremamente gostosa. A Meire, de 20 anos, é branca, tem 54kg, cabelo castanho e curto, seios e rabo M digo que ele é delicioso, fala besteira demais. A outra mulher, de 24 anos, é branca, magra, tem seios e rabo P e cabelos encaracolados loiros. Eu estava na casa delas, eu, minha esposa, Elis e a mãe delas. Minha esposa estava nos fundos com a tia fazendo massa 4 tapioca. Eu de short, minha esposa de shortinho, a Meire de mini shortinho e as coxas roliças. Dava para notar a buceta inchada. Aliás, buceta inchada é da minha esposa. A Elis de saia, elas falavam besteiras. Só eu de homem e a besteira rolava. Meu cacete. Fui ao banheiro, abri o cesto de roupas e abri alguns fios dental. Não me recordo de qual, mas fiquei cheirei porque o cheiro que estava presente no cérebro foi parar no cérebro e, consequentemente, para o cérebro.

Família Real 02 – O Pau Real

Família Real 02 – O Pau Real

Família Real 02 – O Pau Real: O Rei Batiatus foi notificado de que o filho, o Príncipe Aragorn, tem envolvimento com todos os funcionários do castelo. Dessa forma, ele não tem a intenção de ter diversos descendentes bastardos espalhados pelo reino e resolve ir até o quarto do filho. No entanto, quando chegar, será possível encontrar uma bela morena completamente nua, o que deixará o Rei inseguro.

A Professora Nanci

A Professora Nanci

A Professora Nanci: Nanci fica apavorada ao perceber André, seu aluno, apresentando sinais de ferimentos pelo corpo. Ela logo percebeu que ele estava sendo negligenciado em sua residência. Dessa forma, ela decide levá-lo à sua residência, mas, quando chegar lá, assumirá a responsabilidade por ele de forma inesperada para ambos.

Minha esposa deu na mesa

Não há segredos. Sou casado com a Mariazinha, de 22 anos, moreninha, seios P e rabinho M. Estava comendo a greluda esposa do meu amigo, que reside num bairro distante 5 km de onde resido. Estava na rua da minha residência quando um amigo passou. Ele parou para conversar e disse: “Eu tenho um negócio para você, mas não sei por onde começar”. Falei: “começa do começo”. Percebi que, de fato, há um homem no bairro que está comendo a esposa. Respondi-lhe como seria. Ele disse que ela iria até lá e esconderia o carro dentro do quintal dele. Falei que estava brincando, mas ele disse que iria dizer isso para você, uma vez que o Mutilo mora ao lado dele. Ele disse que, da residência do Murilo, é possível ver tudo. Ele reside numa área nos fundos, com a família dele e Maria, que mora com ele. Eles se beijam e se curtem de forma intensa, embora, muitas vezes, estejam lá sozinhos. Ansiosa, ela disse que já havia presenciado Murilo comendo ela na área de churrasco, com ela sentada na mesa de vestidos e Murilo entre as suas pernas. Não tive dúvidas ao comparecer à residência do Murilo. Conversei com a esposa dele, mas ela não quis conversar, mas resolveu dizer que ele costuma vir diretamente à sua residência na maioria das vezes em que está sozinho. A Cicera confirmou sua vinda ontem. A viciaram em transar fora, seja de vestido ou saia.

O micro shortinho da minha esposa

Sei que muitos apreciam ler contos eróticos. Tenho muitos a relatar e, por isso, vou contar por um motivo muito excitante. Recém casado com Alê, com 20 anos, branca, com seios ainda P e rabinho M, 1,70m, 45 kg, cabelos à altura do bumbum, sorriso delicado e fala mansinho. Quando ela era uma criança, eu, um homem experiente, tivemos um desentendimento e ela saiu de casa, indo para a casa da mãe. Como era de se esperar, alguns parentes esconderam-me de mim. Amo a deliciosa, mas não a encontrei por mais de 30 dias. Mas uma irmã dela intermediou um encontro entre nós. Aguardei com ansiedade por este momento. Fui ao encontro dela. O desejo está aqui. Parei o carro antigo no local marcado e aguardei por uns 20 minutos. Quando a vi, meu coração disparou e meu cacete endureceu. Ela veio com um topinho cobrindo os dois peitinhos, a barriguinha trincada, um micro shortinho camuflado valorizando o rabinho, deixando-o bem redondinho. Parecia que ia se partir de tão apertado a bucetinha deliciosa. As pernas do shortinho subiram para cima na frente. Esta narração me deu um tesão, chegando a quase ver a calcinha na frente. Que putinha deliciosa.

Tirei o cabaço dela

Os meus contos são reais, não são ficção. Na verdade, tenho contos de terceiros. Mais adiante, vou relatar para os leitores. Escrevo sobre a minha primeira esposa. Sou amigo do irmão dela e, quando nos encontramos, frequentei a casa deles. No primeiro dia em que a vi, comecei a flertar com ela. Ela é moreninha, baixinha, tem cabelos pretos nos ombros, seios pequenos e um rabinho M. Foi algo que me encantou, mas deu certo. Comecei a namorar em casa, esse sim um cabaço. Levei-a para casa, vestindo-a de salinha, blusinha e chinelos. Dessa forma, não havia ninguém em casa. Começamos a nos aproximar da sala, com beijos calmos. Minha mão entra por baixo da sainha e sinto o rabinho molhado da bucetinha. O rabinho parece um pneu cheio. Minha pica enlouquece. Ela acaricia o short e a vara doi de tão dura. Mamo os peitinhos pequenos e firmes. É extremamente arriscado ficar nus, pois pode chegar alguém. Sentei-me na ponta do braço do sofá, puxei a calcinha de lado e a bucetinha ficou exposta. Chupei a bichinha enquanto ela gemia e chupei-a com força, antes de quebrar o cabaço dela. Tirei a calcinha dela e a coloquei no cantinho. Levantei-me e puxei a pica pela perna do short. Lubrifiquei-a… Coloquei a portinha da bucetinha e fui forçando, mas o pau estava entortando e eu tentava penetrar. Até que penetrei a cabeça e ela geme de dor e diz que está doendo. O pauzão de um macho de 1, 76m e uma mulher de 1,60m, sentado de frente para ela. Segurei as pernas dela por cima das minhas, segurei a bunda dela e puxei-a devagar para penetrar, mas o pau estava com dificuldades para entrar e a cabeça do cacete doía bastante. Ela pulou da cabeceira do sofá e levantou a cabeça. Expliquei porque você saiu e vem. Gostaria de comer, mas ela diz que vamos parar. Eu insisto e grudo nela por trás, grudando-a por trás e tocando a bundinha dela. Sinto meu pau entre as pernas dela. Observo que, às vezes, ela encolhe o rabinho para frente e, ao me segurar pela cintura, a vara encaixa-se no rabo dela. Peço desesperadamente para comer. Respondo: deixa-me comer.

Minha esposinha Bianca – A hora chegou

Após a confusão que se instalou na minha sala, passei cerca de 20 minutos meditando sobre tudo o que havia acontecido. Busquei compreender a reação de Bianca ao sair em silêncio no final do episódio, a mesma reação de Jean. Qual é o aspecto mais relevante? Era necessário que eu compreendesse, por mim mesmo, como agiria a partir de agora? Aqueles 20 minutos me fizeram ter a certeza de que a primeira ação a ser tomada seria entrar no nosso quarto e conversar com minha esposa. Assim, fiz. Ao chegar ao quarto, encontrei-a deitada na cama, enrolada num lençol. Parecia um caramujo encolhido. Sentei-me na borda da cama e fiz um carrinho na sua cabeça. Perguntei. Como vai você? Ficou incomodada com alguma situação? Poderia, meu amado. Não estou apavorada com a sua atitude, apenas tentando compreender tudo isso. Fiquei um pouco confusa, talvez por conta de um pouco de tudo, como tesão, medo,vergonha e raiva. Não sei explicar isso, Jorge.

Minha esposinha Bianca – Hora da verdade

Após desfrutar de um show de música sertaneja e, de fato, comunicar ao nosso vizinho que aquele jogo estava liberado por mim, agora era esperar a reação dele no restante daquela noite. Bianca e eu entramos no apartamento. Ela foi à cozinha pegar três taças no armário. Eu apenas me esparramei no sofá e tirei os sapatos. Bianca conversava distraida com Bianca. Ouvi a voz de Jean entrando pela nossa sala. Ele já havia tirado a roupa que havia usado na festa, e estava apenas com um short de futebol, sem camisa. Ele segurava uma garrafa de vinho. Não deixei de notar que estava sem cueca, uma vez que seu pau estava bastante duro e o short não permitia. Aqui está a garrafa de vinho pessoal. Peço desculpas pelos trajes. Estou muito quente. Há algum problema, Jorge? Não adianta dizer que têm, já está quase chegando na minha sala. Amor, olhem que vizinho safado! Observe o que está acontecendo dentro do calção. Kkkk, que feio isso, rapaz.