Categoria: Contos eróticos para mulheres

Leia os melhores contos eróticos para mulheres que são capazes de te deixar molhadinha em poucas linhas de texto. São histórias bem excitantes de mulheres tendo sexo com homens bons de cama que sabem fazer uma mulher delirar e chegar a múltiplos orgasmos.

Dando no meu escritório para o meu segurança negão

Olá, queridos e queridas leitores, vou continuar o que aconteceu após a nossa transa no chão da loja. Para quem não leu os dois contos anteriores, entre na minha página e leia o início do meu relacionamento com Gabriel. Após as nossas transas, sentia-me completamente morta e adorava isso. Gostava da sensação de me sentir assim por causa do sexo, algo que nunca havia ocorrido em minha vida. Chegava em casa e só queria saber se conseguia dormir. Após a última vez, não tivemos mais a oportunidade de transar novamente. Na semana seguinte, saí com meu marido para jantar, bebemos um pouco e, quando chegamos em casa, depois de muito tempo, voltámos a nos amar. Não vou dizer que foi ruim, que não gostei. Foi bom, até melhor do que as últimas vezes que fizemos, mas não senti a mesma coisa que o Gabriel. Ele me preenchia, me dominava e me controlava. Adorei isso. Já com o meu marido, sou eu quem toma conta da situação na maioria das vezes. Ele chegou a dizer que eu estava mais safada na cama, que nunca tinha me visto tão safada. Há mais de quinze dias que não tive relações sexuais com Gabriel e quase uma semana com o marido. Resolvi ir à loja para passar os dois próximos dias, mas, devido ao volume de tarefas que teria que cumprir, não pude comparecer ao almoço. No horário do almoço, não pude comparecer. Uma das meninas foi até o meu escritório para saber se eu não poderia ir ao almoço. Respondi que faria o possível para poupar tempo. Para poupar tempo, se ela fosse almoçar e sobrasse um tempo, poderia trazer uma marmita. Ela trouxe o dinheiro para mim e perguntei se ela poderia fazer o mesmo comigo no dia seguinte. Ela concordou e eu já o entreguei. No entanto, ela almoça quase uma hora depois de mim. Nesse dia, apenas tivemos algumas trocas de olhares, mas nada mais. No dia seguinte, aconteceu o mesmo. Agarrei e não tive tempo de ir embora. Quando estava cerca de 20 minutos do meu horário de almoço, Gabriel entrou na sala com a marmita na mão. Perguntei o que ele estava fazendo ali. Ele contou que viu a Patrícia levando a marmita no dia anterior e perguntou para ela. Ela explicou-lhe o que havia pedido e, como ele almoçava no mesmo horário, disse-me que ele mesmo comprava e trazia para mim, mas que isso era apenas um protesto para beijar minha boca. Ele fechou a porta e começou a me agredir. Pedi para parar, mas ele não ouvia e eu não podia gritar alto. Ele então me beijou e colocou a mão dentro da calça, esfregando minha pepeca, dizendo-me que não teriamos muito tempo para brincar. Eu apenas disse “para” bem devagar, mas era apenas um “para” para que ele continuasse. Já estava ensopada só de pensar nisso. Ele retirou a minha calcinha, molhou o membro e começou a pressionar a minha pepeca. Apesar de não poder gritar, pareceu-me que doeu mais. No entanto, não queria parar. Estava de costas empinadas e não queria entrar. Pedi para que ele sentasse na minha cadeira. Fui sentando lentamente, com dificuldade, mas consegui entrar. Ele me segurava forte pela cintura e me forçava com toda força para sentar forte no seu pau. Eu segurava a mão na boca para não gemer Em um rápido movimento, ele se levantou e voltou à posição em que estávamos anteriormente. Eu empinava de costas para ele. O safado colocou as mãos no meu ombro e estocava forte, mas com intervalos maiores para não fazer muito barulho. Eu via estrelas a cada estocada do meu negao. Era isso que eu precisava, era isso que eu queria, aquilo que me completava, que me fazia gozar. Ele avisou que eu iria gozar. Quando me dei conta, estávamos transando sem preservativo. Pedi para que ele não me deixasse entrar no quarto. Ele me mandou abaixar-me. Fiz o que ele ordenou e gozei na boca. A quantidade de líquido que saiu foi muito grande, caindo no meu rosto, nos olhos e na boca. Tentei engolir tudo, mas fiquei com o rosto todo sujo pelo leitinho do meu parceiro. Peguei guardanapos que encontrei no escritório e limpei-me. Apesar de ter sido uma visita rápida, foi extremamente gratificante. Antes de ir embora, ele disse-me o seguinte: Verifique se inventa alguma desculpa para o seu marido, uma vez que você estará comigo à tarde e retornará tarde. Tenho uma surpresa muito grande para você e tenho a certeza de que você irá adorar. Não tive tempo de perguntar, fiquei muito curiosa e pensando no que diria para o meu marido. Contudo, este será um conto para o próximo. Espero que tenham gostado. Foi uma história breve e não tive a oportunidade de escrever sobre ela. O próximo conto, com toda a certeza, será um conto bastante extenso, dividido em duas ou uma grande história. Vou analisar e, até quarta-feira, publicarei. Contem o que acham e votem também.

Viciei no meu segurança negão dei no chão da loja

Primeiramente, gostaria de expressar minha gratidão a todos vocês. Fiquei impressionada com a repercussão que o meu conto teve, com muitos comentários aqui e diversos e-mails que recebi. Ainda não respondi a todos, mas vou responder. É falta de tempo mesmo pelos compromissos. Por gentileza, leia o meu conto anterior com antecedência, intitulado “Traindo meu marido pela primeira vez, com o segurança negão da minha loja”. A partir de agora, vou continuar relatando o que ocorreu. Após a nossa estadia na residência do Gabriel, despedimos-nos. Peguei o meu carro e fui para minha residência, sem ter certeza de como entraria. Encontrava-me com o colo todo marcado, um vestido amassado e sem calcinha. Apesar de o meu filho mais velho ter apenas 12 anos no momento do ocorrido, ele não tinha a menor compreensão sobre isso. Se visse-me toda marcada, poderia comentar com o meu marido. Apesar de não termos qualquer tipo de relação sexual, ninguém suporta ser traído. Eu estacionei o meu carro, subi correndo para o quarto, entrei no banheiro e fui tomar um banho de banheira para relaxar, quando eu entrei que eu fui ver o tanto que eu estava acabada, me bateu um cansaço que eu nunca havia sentido, parecia que eu tinha dado duas voltas na lagoa da Pampulha, de tão cansada, eu coloquei a mão na minha pepeca, senti completamente inchada, até para urinar eu sentia um incômodo, mas também, 24cm entrando com toda força dentro de mim, não poderia ser diferente, eu saí do banho e tive que passar maquiagem para disfarçar, mandei a Grazi (minha doméstica) servir a janta dos meninos mais cedo, para não levantar suspeitas e alguém perceber alguma coisa, eu também deitei mais cedo e meu marido nem se deu conta. Pensei seriamente em não trabalhar no sábado, mas o desejo de o ver novamente falou mais alto. No sábado, usei uma roupa mais justa, uma blusinha decotada e um perfume que só usava quando ia para algum lugar importante com meu marido. Fui. Cheguei e o cumprimentei como se nada tivesse acontecido, ele também se comportou da maneira que deveria, o dia passou e eu fiquei no meu escritório, como de costume, sempre na hora de fechar eu e a Tamires, minha gerente, fechava-mos a loja e ele esperava para ir embora também, nesse dia eu dispensei a Tamires mais cedo, falei que ficaria até um pouco mais tarde, que teria que resolver um problema que deu com as notas, e ela acabou saindo, ele fez que foi embora para ninguém desconfiar, passado alguns minutos, ele bateu na porta da loja, eu abri e ele entrou, assim que eu fechei, ele me deu um beijo molhado, disse que já sentia saudades de mim, que o meu perfume estava exalando em toda a loja durante o dia e isso o deixava louco. Apesar do desejo que eu sentia, não conseguiria fazer nada naquele dia. Ainda estava inchada e sentindo incômodos na minha pepequinha. Ele não se conformava e disse-me que eu seria toda dele, apenas dele. Ele me beijou com muita vontade e eu mamei novamente, com mais vontade que na primeira vez. Aproveitei a chupada e ele gozou muito na minha boca, fazendo-me engolir. Ficamos namorando um pouco e, logo depois, fomos embora. Como já havia mencionado no conto anterior, eu tinha mais duas lojas em Belo Horizonte, logo, não podia permanecer em uma única loja por toda a semana, tendo que alternar entre elas. Só voltei à loja na sexta-feira devido a problemas nas outras lojas e ao fato de meu filho ter brigado no colégio, o que me impediu de comparecer na quarta-feira. Na sexta-feira, cheguei, cumprimentei todos e subi. Como não havia muita coisa para fazer no escritório e a loja estava vazia devido ao fim do mês, desci. As meninas conversavam perto do caixa da loja e eu fui até elas. Cheguei e perguntei qual era o assunto. Sim, Gabriel. Perguntei o motivo pelo qual elas estavam conversando. Tamires respondeu que acreditamos que o negão aqui não aprecia a fruta. Rimos. Perguntei o motivo pelo qual elas achavam isso. Ela me disse que quase todas ali tentaram dar uma investida nele, mas ele não deu a mínima importância. Ela disse que a esposa havia se divorciado porque descobriu que ele era gay. Pensei, então, quer dizer que meu filho é fiel a mim e não quer mais ninguém? As meninas eram mais jovens e até mais atraentes que eu. Isso despertou mais o meu desejo pelo meu negro. Já estava totalmente recuperada e pronta para aguentar sua anaconda de novo, mas Grazi ligou-me dizendo que meu filho mais novo estava com febre. Dessa forma, tive que sair mais cedo e não pude aproveitar o final do expediente. No sábado, vesti um vestidinho curto, daqueles que não usava há tempos. Quando cheguei à loja, as meninas brincaram: “A senhora tá que tá em, o maridão hoje tem”, e riram, mesmo sabendo. Coloquei uma calcinha marrom, bem pequena. Durante a semana, recebi alguns e-mails com queixas sobre o atendimento das meninas na loja. Realizei uma reunião com elas no final do expediente e Gabriel ficou ali esperando que elas fossem embora. Logo que chegaram, ele veio com tudo. Disse que eu não deveria ir à loja, pois ele não está se sentindo bem. Já me beijou, apertando a minha bunda. Eu estava completamente entregue a aquele negro, arranhava suas costas e mordia seu pescoço. Sentia fome de sexo quando ele estava por perto. Chamei-o para o escritório, mas ele disse-me que gostaria de me encontrar ali mesmo, no meio da loja, e que havia pensado nisso durante toda a semana. Ele me colocou deitada no chão, retirou a alçinha do meu vestido e engoliu os meus seios com muita vontade. Ele sabia o que fazer com aquela boca. Como chupava bem, eu ficava alucinada a cada mordida que ele dava. Prendi as minhas pernas atrás da sua cintura. Queria aquela boca na minha, morder aqueles lábios

Submetida por um prisioneiro

  Irene está como voluntária no comitê de um partido político. Está trabalhando na candidatura de alguns candidatos. Um deles é o foco dela. Ele se chama Dirceu, de pele amorenada, olhos verdes e de porte atlético. Diferentemente de seu noivo José que tem também os olhos esverdeados, aloirado e é rechonchudinho. Os três frequentam a mesma universidade. Irene faz Direito junto com Dirceu. Seu noivo faz Engenharia.   A presença de Irene no dito comitê tem duas razões. A primeira é para passar informações ao noivo que faz parte do comitê rival. A segunda é que ela se sente atraída pelo belo e extrovertido moreno Dirceu, embora não admita isso. Mas, Dirceu já tinha percebido isso e aos poucos foi ganhando a afeição dela. – Fico pensando que você seja espiã do teu noivo! Voce não é, né!? – O…o quê!?? Claro! Quero dizer, claro que não!! José tem as convicções dele e eu as minhas! – Sei não! Prove que você é leal comigo! – Como assim? – Saindo comigo para almoçarmos!!   Na garagem, Irene treme ligeiramente de emoção e sente seu corpo ferver sem saber porque. Dirceu abre a porta do carro e faz menção pra que Irene entre. Ao chegar junto dele é abraçada e beijada. Passado alguns segundos de susto, ela deixa que lhe acaricie as polpudas nádegas e estremece ao sentir algo se avolumando no seu baixo-ventre. – Aaammm! Pára Dirrceu, pára!!   Mas, Irene não faz nenhum esforço pra interromper o beijo e o abraço. Tenta acalmar sua culpa dizendo “Eu…eu não posso! Não posso! O que está acontecendo comigo!? Por que não consigo afastá-lo!?”   Dirceu confiante sabe que ela já está subjugada pelos próprios desejos. Abruptamente, ele a vira de costas e a abraça roçando com destreza sua virilha na bunda dela. – Sempre…sempre tive atração por você! Não sei o que você viu naquele gorducho! Você tem que ficar comigo! Irmos juntos nessa peleja política! Voce será minha rainha! Eu quero você, Irene! Voce me quer?? – Eu… não sei… eu não…não posso Dirceu! Eu vou casar assim que ele se formar!! – Ao menos deixa eu ter a ilusão que você por um momento foi minha!   Irene, nada responde, mas suspira e de olhos fechados encosta a cabeça no tórax dele. Ela se deixa inclinar em cima do capô e vibra quando lhe suspende a saia e começa a lhe abaixar a calcinha. Ela tenta ensaiar uma resistência segurando as mãos dele. Mas, a calcinha escorrega por suas coxas até os joelhos. – Me… me deixe possuí-la… do meu jeito! Vou tomar cuidado pra não te engravidar! Tenho uma camisinha aqui! O Zé nunca ficará sabendo de como te possui! A não ser que você conte pra ele!!   Apesar de seu senso moral e familiar, Irene sempre seguiu todas as regras de comportamento que lhe foram induzidas. Nunca imaginou que iria transgredi-las de maneira tão rude, imoral e sensual. Ela vibra de tesão. Irene sente a pirocona de Dirceu invadindo lentamente sua estreita xoxota. Involuntariamente perde a respiração por um segundo e uma onda de calor lhe cobre todo o corpo e faz todo canal vaginal expelir mais fluido deslizante, deixando num estado de puro êxtase, quase desmaiando. – Acho… que assim já está bom! Voce não deve chegar com a xaninha avermelhada quando chegar em casa! – Ooh não! Não, não para! Não quero saber se ele vai ver ou não! Por favor! Continua! Faz mais! Mais! – Quem te disse que ía parar, amor! É esse bundão que eu quero! Sempre te desejei vendo você caminhando ou subindo as escadas com as bandas da bunda balançando e batendo uma na outra! Só relaxa, querida!   Irene não entendeu nada que Dirceu disse. Só abriu os olhos ao sentiu certo desapontamento quando ele retirou o pênis de sua vagina e passou a esfregá-lo nela de cima a baixo. E logo sente a rombuda glande se insinuando na boquinha de seu anus. Ela dá um grito e leva um dos braços às costas pra impedi-lo de continuar. Dirceu agarra punho do braço e o torce atrás das costas dela. Dor e lágrimas vêm junto com a humilhação e a passagem de toda a glande pra dentro, abrindo caminho pro resto da piroca. – Cacete! Como eu sonhei com esse dia, Irene!! Com essa bunda…esse cusinho! Rraaarr! Fica quieta! Voce querendo se soltar só tá “mastigando” meu cacetão e vai me fazer gozar logo!! Deixa que eu me mexa!!   Irene achou melhor seguir o conselho dele. Afinal, só sentia dorzinha do expandimento do anelzinho e ainda um desconforto de entupimento! Mas, fora isso, estava suportável a rolona se mexendo dentro do seu cusinho. Talvez pra acelerar e acabar logo com aquilo e tentando negar que começava uma exótica sensação de prazer, Irene passa a contrair e relaxar os glúteos. Chega até a dar umas reboladinhas.   Dirceu leva uma das mãos em concha e invade com dois dedos a bocetinha dela, ao mesmo tempo que estufa a camisinha com a ejaculação que chega a espirrar pra fora, umedecendo sua virilha e a bunda da noivinha do Zé. Irene, com as sobrancelhas querendo se juntarem, aperta a cabeça de encontro o capô e contrai o anus conforme o orgasmo se espalha pelo corpo todo. Dirceu joga a camisinha longe, se arruma e sai caminhando. Irene permanece estática em cima do capô sem saber o que aconteceu e ainda tremendo. – Se ainda quiser almoçar, me encontra na praça de alimentação! Vou te pagar um hamburguer!!   Irene além de estar humilhada com a atitude de calhorda de Dirceu, também se sentia culpada. Primeiro por sua atração involuntária. Segundo por ceder a luxuria dessa atração. Achou melhor silenciar, engolir o sapo e não denunciá-lo por estrupo. Não valia a pena o escândalo. O casamento estava perto.   No dia seguinte evitou qualquer contacto, mesmo visual, com Dirceu. Ele também a ignorava. E isso doía. Algo naquilo tudo

Sendo chupada por dois homens

Eu sou uma mulher que adora sexo e quando meu namorado me propôs para que eu fosse chupada por dois homens eu não hesitei em aceitar. Aquilo me deixou com muita curiosidade e vontade de experimentar aquilo. Não demorou muito para que nos encontrássemos com os dois homens em um motel que meu namorado tinha reservado. Eles estavam lá nos esperando e quando eu entrei, eles me cumprimentaram com muita simpatia e gentileza. Quando eu me sentei no sofá, eles vieram em minha direção e começaram a me beijar. Os beijos eram muito quentes e excitantes e logo eles começaram a me tocar por todos os lados. Eu já estava sentindo o meu corpo se aquecer e meu desejo aumentando a cada segundo. Eles me levaram para a cama onde começaram a me chupar toda. Eu sentia suas línguas quentes passando por todos os meus lugares íntimos e aquilo me deixava muito excitada. Primeiro, um deles me chupou a buceta enquanto o outro me beijava com muita vontade. Então, meu namorado começou a me beijar e me penetrava com os dedos enquanto eu sentia a língua quente dos dois caras me chupando como se fosse uma loucura. Eu já estava louca de tesão e sentia minha bucetinha pulsando. Sendo chupada por dois homens Eles me chupavam com tanta vontade que eu não conseguia me segurar, eu gemia e gritava de prazer. Eu estava adorando aquela sensação de ser chupada por dois homens ao mesmo tempo. Em seguida, eles me viraram de costas e começaram a me chupar por trás. Eu sentia suas línguas quentes percorrendo minha bunda e minhas pernas. Eu não conseguia me segurar e toda vez que sentia a língua deles em meu cu eu gemia e gritava de prazer. Eles me chupavam por tanto tempo que eu já não suportava mais aquela sensação e logo gozei muito forte. Eles não pararam de me chupar e eu gozei de novo e de novo. Não demorou muito para eu sentir meu corpo inteiro tremendo e meu orgasmo sendo mais intenso a cada segundo. Depois que eu gozei, eles me deitaram na cama e começaram a me beijar. Eles me penetraram ao mesmo tempo e eu sentia aqueles dois paus me preenchendo por completo. Eu me sentia muito bem e estava adorando aquela sensação. Os dois foram mais rápidos a cada segundo e eu já não aguentava mais. Eu queria sentir aqueles paus dentro de mim e logo comecei a gritar mais alto. Eles não pararam e eu gozei muito forte. Em seguida, os dois gozaram em minha buceta e eu senti aquelas gozadas quentes escorrendo por todo meu corpo. Depois de um tempo, eu me senti completamente saciada e feliz. Aquela havia sido uma experiência incrível e eu não me arrependo de ter aceitado a proposta de meu namorado de ser chupada por dois homens.

Transando com o amigo do marido

Eu já estava madura o suficiente para saber muito bem o que queria, e o que precisava para me sentir aliviada e realizada. Cansada das mesmices do meu matrimônio, decidi que queria tentar uma experiência diferente, algo que animasse aqueles mais intensos ímpetos que me cativavam a mente. Foi então que surgiu a chance de transar com o amigo do meu marido. Meu marido, Angelo, trabalhava como office-boy em uma grande firma, onde seus colegas de trabalho eram os mesmos homens com os quais gastava suas horas vagas. Um desses companheiros costumava dar carona para o meu marido até nossa casa, sempre dizendo que estava disposto a fazer qualquer coisa por nós. Chamava-se Ignácio, e era um homem lindo, carismático, de cabelos escuros e olhos verdes. Desde o primeiro dia em que eu o conheci, desejei experimentar as delícias proporcionadas por ele. Assim, pensei: “Por que não? Não sou uma esposa insatisfeita. Não posso resistir a essa tentação”. Contei a ideia para minhas amigas e elas me incentivaram a realizá-la. Então, resolvi tomar a iniciativa e decidi propor ao Ignácio transar comigo. Assim que lhe apresentei a ideia, ele não perdeu tempo e aceitou imediatamente. No mesmo dia, convidei-o para visitar minha casa quando meu marido não estivesse presente. Foi difícil esconder daquele homem lindo que eu desejava desfrutar daquela experiência, mas eu tinha que manter a compostura, pois Ângelo não poderia saber. Chegou o dia e, às vezes, me sentia ansiosa, quase com uma pontada na barriga. Quando Ignácio acabou de chegar, achei que iria desmaiar de tão nervosa. Tinha medo que as coisas não saíssem como eu esperava. Nós nos sentamos na sala, conversamos tranquilamente sobre trivialidades e nos beijamos. A cada toque, a promessa de prazer aumentava. Estava me sentindo extraordinária com tudo aquilo. Segurei-o pela cintura e o levantei. Passamos por um longo corredor até chegarmos no quarto. Pela primeira vez, senti que poderia explorar meus mais profundos desejos. Transando com o amigo do marido, me sentia aventureira, ao mesmo tempo em que tomava o controle de toda a situação. Ao agarrá-lo com força, comecei a me despir. Seu corpo estava com tanta calidez, eu queria senti-lo sobre o meu. Enquanto eu o desejava, meu corpo começava a tremer. Meu desejo crescia a cada instante. Ignácio me olhava com profunda paixão, e senti como se estivéssemos alimentando o desejo um do outro. Ao deitar-se sobre o leito, a tarde prometia grandes momentos de prazer. Beijamo-nos em uma longa sessão de prazer. Senti a mão aperta com fúria nas minhas costas, enquanto me entregava aos desejos mais profundos que existiam em mim. Meus dedos apertavam seus músculos e giravam ao redor sua cintura. Um dos meus maiores prazer era sentir o sabor de sua pele cheia de suor. A sensação de sua língua ao longo da minha era fantástica. Os movimentos dos nossos corpos se tornaram mais intuitivos, ávidos de satisfação. Mais e mais gastávamos de nós mesmos nesta oportunidade de aproveitarmos a noite sozinhos. Ignácio me virou com rapidez, erguendo minhas pernas. Ele então entrou profundamente dentro de mim, assim como eu ansiava. Nossos corpos se estapeavam em perfeita harmonia, produzindo incontáveis gemidos que contavam todas as histórias de entrega sexual que eu queria escutar. Nenhum desejo precisava ser dito. O som dos nossos corpos se expressava por si só, marcando aquela ocasião como inesquecível. Os movimentos se intensificavam cada vez mais, atingindo nosso ápice nos instantes finais. Libertamos nossas satisfações em longos gemidos de satisfação extrema. Quando nos demos conta, a noite se transformou em manhã. Ficamos algumas horas abraçados, nus em baixo das cobertas. Não me importei ter realizado a experiência, pois naquele momento parecia estar no lugar certo, fazendo aquilo que mais amava. Transando com o amigo do marido me proporcionou todo o prazer que sempre imaginei. Nunca mais esquecerei aquela noite maravilhosa, que me permitiu expressar meus desejos de uma forma única.

Como Meu Médico Me Comeu

Foi aquele dia em que meu médico me comeu e mudou minha vida para sempre. Meu coração estava palpitando forte quando cheguei ao consultório. Eu já sentia a consciência de que iria acontecer algo diferente, algo novo e empolgante. O médico já me conhecia há anos e sempre fui a ele para consultas de rotina, mas dessa vez os sentimentos eram diferentes. A sala estava bem iluminada, com um tom cinzento suave. O clima era ligeiramente constrangedor, mas ao mesmo tempo eletrizante. Eu sabia o que estava prestes a acontecer. Meu médico estava sentado à escrivaninha olhando com atenção para os meus exames, mas ao fundo eu ouvia a sua respiração ofegante. Quando ele finalmente olhou para mim, notei que seu rosto estava vermelho e suas mãos estavam trêmulo. Meu Médico Me Comeu Meu coração estava acelerado e eu consegui sentir a tensão sexual que pairava no ar. Sem dizer nada, ele levantou-se e caminhou na minha direção. Eu arfei devido ao nervosismo e ao mesmo tempo notei que isso o excitava ainda mais. Ele segurou meus lábios com doçura e de forma suave me beijou. Envolvida por uma mistura entusiasmante de medo e emoção, eu retribuí seus beijos. Então, sem aviso, ele me levantou do chão e carregou-me para o seu quarto. Eu me sentia ao mesmo tempo nervosa e grata pela oportunidade de sentir tanto dele. O quarto estava tomado por um cheio maravilhoso de perfume e álcool, que logo me deixou tonta e absolutamente submissa. Ele me deitou sobre a cama e tranquilamente tirou minha roupa. Mesmo suando e respirando ofegante, ele conseguia manter sua calma e circunspeção. Suas mãos eram quentes e firmes, esfregando-se com paixão e desejo por minha pele. Eu não conseguia mais me segurar e estava trêmula de tesão. Alternando seus movimentos entre beijos quentes e duros e carícias suaves, sua boca deslizava por meu pescoço, minha barriga e por entre minhas pernas. Não demorou muito para eu perder a minha sanidade e partir para a loucura de gemidos e pulsações intensas, enquanto meu médico me comeu como se eu fosse o seu bem mais precioso. Ele penetrava cada vez mais fundo dentro de mim, fazendo com que cada pedaço de meu corpo ficasse em um estado de êxtase quase insuportável. Aquilo que viemos fazendo não era apenas sexo, mas sim uma verdadeira correria rumo à liberdade e satisfação mútua. Quando ele gozou, eu já não conseguia mais me segurar e acompanhei-o aos céus em uma explosão de paixão. Naquele momento, eu não podia duvidar de que meu médico me comeu e a transformou para sempre. Aquela experiência foi única e especial, e desde então, eu nunca mais saí da memória do meu amado médico.

De santinha a puta

Eu sou a santinha que virou puta, ou ao menos é assim que me chamam. Desde que me entendo por gente me dedico a satisfazer os desejos mais íntimos dos homens e mulheres de meu redor. Minha vida é cheia de aventuras e descobertas, e só posso dizer que eu adoro cada momento. O dia em que me encontrei com aquele homem foi bem especial. Logo quando me viu, ele me olhou com aqueles olhos carregados de desejo. Ele me tocou com suas mãos firmes e me deu um beijo que me deixou querendo mais. Ele me abraçou e me apertou contra seu corpo forte. Eu podia sentir sua excitação aumentando com o passar do tempo e aquilo me deixou tão excitada que eu nem conseguia mais respirar. Nós nos deslocamos para o quarto onde ele me deitou sobre a cama. Ele estava nu, seu corpo quente me dando um prazer infinito. Ele começou a me beijar, primeiro suavemente, depois com mais intensidade. Sua língua quente explorando minha boca me deixou louca de desejo. Eu sentia um calor intenso em meu corpo quando aquela língua começou a dar voltas em meu pescoço. Ele desceu suas mãos por meu corpo, explorando cada centímetro de mim. Suas mãos eram firmes e seus dedos me davam pequenos toques que me faziam arrepiar. Ele desceu sua boca até meu peito, lambendo e chupando meus mamilos. Seu hálito quente me enchia de prazer, e eu gemia alto de excitação. Ele desceu sua boca até minha barriga, me deixando louca de desejo. Meu corpo estava arrepiado e eu queria que ele me desse mais e mais prazer. Ele começou a me beijar entre minhas pernas e eu gemia cada vez mais alto. Sua língua quente me dava voltas, me deixando louca de tesão. Então ele me penetrou devagar, com sua ereção me dando prazer. Ele começou a me beijar enquanto me penetrava, e eu quase perdi a cabeça. Eu mal conseguia respirar, tudo era tão intenso e prazeroso. Ele me beijava e me tocava enquanto me penetrava, me deixando cada vez mais excitada. Nosso movimento era cada vez mais intenso, e eu sentia o meu corpo se arrepiando. Eu queria gritar de tanto prazer, mas eu estava sem voz. Então, ele me deu um beijo intenso e eu senti meu corpo tremer de prazer. Nós gozamos juntos, e eu senti que aquela experiência iria me marcar para sempre. Eu sou a santinha a puta, e eu adoro isso. Meu trabalho é dar prazer, e eu posso dizer que só faço isso melhor a cada dia. Eu amo cada momento que passo com meus clientes, e eu sei que eles também adoram cada segundo que estão comigo. Eu amo o meu trabalho, e eu sei que ele me dá muito prazer.

Fazendo amor com um Evangélico

Eu sempre tive um interesse especial em homens evangélicos. Eu não sabia exatamente por que, mas eu tinha uma atração irresistível por eles. Eu sempre quis saber o que havia por trás dessas barreiras religiosas, queria saber como eles se sentiam quando eles abriam suas almas para alguém. Então, um dia, eu conheci um homem evangélico. Ele era lindo, tinha um corpo incrível e uma alma tão gentil. Eu sabia que eu estava interessada nele desde o primeiro momento em que o vi. Nós começamos a sair juntos e, enquanto saíamos, eu sentia que havia alguma coisa especial entre nós. Às vezes, enquanto conversávamos, eu podia ver o quanto ele se importava comigo e eu comecei a me sentir cada vez mais atraída por ele. Fazendo amor com um Evangélico Então, chegou o momento em que não conseguimos mais resistir ao desejo que sentíamos um pelo outro. Nós nos beijamos e nos abraçamos, cada vez mais perto, e eu sabia que estávamos prestes a fazermos algo que eu tinha desejado por muito tempo. Começamos a nos despir lentamente, tocando-nos como se não houvesse amanhã. Ele acariciou meu corpo inteiro, como se estivesse explorando cada centímetro de minha pele. Seus toques eram suaves e gentis, cheios de amor e desejo. Então, quando já estávamos completamente nus, ele começou a me beijar com paixão, sua língua explorando minha boca como se estivesse procurando alguma coisa. Quando ele começou a me penetrar, eu senti toda a emoção e o prazer que eu vinha esperando. Ele se movia dentro de mim, lenta e profundamente, cada vez mais fundo, me preenchendo completamente. Eu podia sentir todo o seu desejo e sua paixão, mas também podia sentir o amor e a ternura que ele sentia por mim. Eu sabia que estávamos fazendo algo muito especial, algo que ninguém mais poderia entender. Estávamos fazendo amor como evangélicos, e foi incrível. Ele continuou me penetrando, cada vez mais rápido e mais profundamente, me dando cada vez mais prazer. Nós nos beijamos, nos abraçamos e nos tocamos como se não houvesse mais ninguém no mundo. Eu me senti cada vez mais perto dele, como se nós dois estivéssemos se fundindo em um só. Então, chegamos ao clímax juntos, eu senti um prazer intenso e incontrolável que começou a esquentar meu corpo inteiro. Nós nos abraçamos e nos beijamos enquanto nos entregávamos totalmente ao momento, como se não houvesse mais nada além daquilo. Depois que terminamos, ficamos abraçados por um longo tempo, sentindo o calor do nosso amor e do nosso desejo. Aquilo foi mais do que apenas sexo, foi algo especial e único. Nós estávamos fazendo amor como evangélicos, e eu sabia que isso era algo que eu nunca esqueceria.

Dominada por Uma Noite Intensa

Eu estava totalmente dominada, meu corpo ansiava por desejos que só podia ser satisfeito por aquela figura masculina que me observava. Seu olhar era intenso e penetrante, me deixando ainda mais nervosa e ansiosa. Eu me sentia totalmente vulnerável e exposta diante dele. Minhas mãos estavam atadas e meu corpo nu e exposto. Eu não tinha controle sobre nada, exceto pelos meus sentimentos e sensações de desejo. Ele estava ali para me guiar ao mais profundo e intenso dos prazeres que eu já havia experimentado. Ele começou a me tocar, seu toque era suave e intenso, me fez sentir seu calor e desejo. Ele deslizava seus dedos em minha pele, meu corpo reagia aos seus movimentos, pedindo por mais. Ele me beijava e mordia meu pescoço, meus quadris e minhas pernas, me deixando ainda mais ansiosa e arrepiada. Dominada pelo Prazer Ele se afastou para me observar, meu corpo estava quente e meu desejo aumentando cada vez mais. Ele me olhava intensamente e eu sentia meu corpo ainda mais dominado por aquele olhar. Ele se aproximou de novo, me beijou e me abraçou. Suas mãos me acariciavam e meus desejos se tornavam mais intensos. Ele me pegou no colo e me levou para a cama. Ele se deitou sobre mim e começou a me beijar, seus beijos me envolviam toda e meu corpo se contorcia de prazer. Ele começou a se mover em minha direção, sua pele quente e úmida tocando a minha, meus movimentos seguiam os dele, buscando o máximo de prazer possível. Ele começou a me penetrar, meu corpo se arrepiava com aquela sensação. Suas estocadas eram firmes e profundas, meu prazer crescia a cada movimento. Eu estava totalmente dominada pelo prazer e meu corpo se movia ao seu ritmo. Suas mãos deslizavam por meu corpo enquanto ele me penetrava, seus dedos passavam por meus seios, minha barriga e minhas pernas, me deixando ainda mais excitada. Eu me contorcia de prazer e gemia com cada estocada, meu orgasmo se aproximando cada vez mais. Ele me beijou com intensidade e começou a se mover com mais rapidez, sua respiração se tornando mais profunda. Eu me entreguei totalmente ao prazer, meu corpo inteiro sendo dominado pelo desejo. Finalmente, eu alcancei meu orgasmo, meu corpo inteiro estremeceu de prazer enquanto eu aproveitava cada momento. Quando tudo acabou, eu me sentia exausta e feliz. Eu tinha sido totalmente dominada por aquela noite intensa. Eu me sentia satisfeita e grata por ter experimentado aquela sensação maravilhosa. Eu sabia que nunca mais me esqueceria daquela noite.

Sexo com homem que conheci no Tinder

Eu nunca havia usado o Tinder antes e meu amigo me contou que era uma ótima maneira de conhecer pessoas, então decidi me arriscar. Foi aí que conheci o Ryan. Ele era alto, moreno e tinha um corpo incrível. Estávamos conversando por algumas semanas antes de nos encontrarmos, então já sabíamos que teríamos química. Finalmente, chegou o grande dia. Eu estava nervosa e ansiosa, mas ainda assim decidi seguir em frente. Quando cheguei ao local, Ryan estava lá me esperando. Ele estava ainda mais bonito do que eu havia me lembrado. Ele me cumprimentou com um abraço apertado e um beijo no rosto. Nós nos dirigimos para um bar, e enquanto conversávamos, eu pude sentir a atração entre nós. Estávamos nos divertindo e rindo, e eu sabia que aquela noite seria bem especial. Sexo com homem que conheci no Tinder Depois do bar, decidimos voltar para a minha casa. Quando chegamos, nós corremos para o meu quarto, e não demorou muito para começarmos a nos beijar. O beijo dele era tão suave e tão intenso que eu não conseguia parar. Estávamos nos beijando desenfreadamente, e eu já estava quase perdendo o controle. Eu queria mais, eu queria sentir seu corpo nu contra o meu. Ele me pressionou na cama, e começou a beijar o meu pescoço enquanto acariciava o meu corpo. Suas mãos eram fortes e firmes, e meu corpo inteiro estava estremecendo de prazer. Ele me olhava intensamente enquanto beijava meus seios, e eu sentia os meus mamilos se endurecendo sob seus lábios. Então, ele se deitou sobre mim e lentamente começou a me penetrar. Eu gemia alto, gemia de prazer a cada movimento dele. Ele me segurava com força e me beijava enquanto me penetrava cada vez mais fundo. Era como se não houvesse ninguém mais no mundo, como se fôssemos duas partes de um só. Suas estocadas eram profundas e intensas, e eu sentia meu corpo se contorcendo de prazer. Ele também estava gemendo, e eu sabia que ele estava quase lá. Então, ele apertou ainda mais meus quadris e gozou dentro de mim. Depois daquele momento, Ryan e eu ficamos deitados abraçados por alguns minutos, recuperando nossas forças. Foi então que ele me olhou nos olhos e me deu um beijo suave. Eu não conseguia acreditar que tudo aquilo tinha acontecido. Eu tinha acabado de ter sexo com um homem que conheci no Tinder, e tinha sido incrível. Eu sabia que aquela noite não seria a última vez que nos encontraríamos.

Esposa falando putaria terminou em sexo

Eu estava desfrutando de uma noite tranquila com minha esposa quando ela começou a falar putaria. Ela me disse coisas quentes, sujas e excitantes que me deixaram com muito tesão. Ela estava falando tão abertamente sobre sexo que eu não consegui resistir mais. Eu me aproximei dela, sentindo o calor de seu corpo, e comecei a beijá-la. Ela retribuiu o beijo com paixão, gemendo enquanto nossas línguas se enroscavam. Ela me agarrou com força e eu senti o desejo aumentando em mim. Aproveitando o momento, eu dei um passo para trás e tirei minha camisa. Minha esposa me olhou com desejo nos olhos e eu sabia que ela queria mais. Sem dizer uma palavra, ela abaixou minha calça e começou a me chupar. Eu gemi alto com o toque de sua boca quente e macia. Ela usava as mãos para me acariciar enquanto lambia e sugava meu membro. Ela tinha um jeito de me deixar louco de prazer. Eu a ergui e ela enroscou as pernas ao meu redor. Enquanto eu a carregava para a cama, ela me olhava nos olhos e dizia coisas quentes e sujas. Ela estava falando putaria e me excitando cada vez mais. Nós nos deitamos na cama e nossos corpos se grudaram como se fossem um só. Ela começou a me beijar com paixão e eu senti meu corpo se arrepiar de desejo. Esposa Falando Putaria Eu comecei a me mover dentro dela e ela gemia alto enquanto eu a penetrava. Ela me segurava com força e seu calor quente e suado me deixava louco de tesão. Ela se contorcia e gemia cada vez mais alto, me provocando ainda mais. Ela me olhava nos olhos e me dizia coisas sujas e excitantes enquanto nossos corpos se moviam como uma dança. Ela estava falando putaria e eu sentia meu corpo se arrepiar de prazer. Eu me movia dentro dela, cada vez mais rápido, e ela gemia cada vez mais alto. Ela se contorcia toda com meus movimentos e meu corpo se arrepiava de desejo. Ela me olhava nos olhos enquanto eu a penetrava e ela me dizia coisas sujas e excitantes. Ela estava falando putaria e eu não conseguia me controlar. Eu sentia meu corpo se arrepiar enquanto eu me movia dentro dela. O calor e o desejo estavam quase me sufocando. Eu queria mais e mais e ela sentia a mesma coisa. Ela gemia alto sendo tomada pelo prazer enquanto eu a penetrava com mais força. A cada movimento, eu sentia meu corpo se arrepiar de prazer. Eu não conseguia me controlar e ela estava falando putaria a cada segundo. Ela me encorajava a seguir em frente, a ir mais fundo, a ir mais rápido. Então, eu senti que aquele era o momento. Eu me senti explodir de prazer e ela gemeu alto enquanto eu gozava dentro dela. O calor e o desejo que senti nesse momento eram indescritíveis. Depois que nossos corpos pararam de tremer, eu me deitei ao lado dela. Ela me deu um beijo de despedida e me disse algumas palavras quentes e sujas antes de adormecer. Eu sabia que ela estava falando putaria e que aquela noite tinha sido incrível.

Batendo Punheta Pro Amigo

Eu não podia acreditar que estava prestes a fazer isso: batendo punheta para meu amigo. Ele tinha me convidado para ir até a sua casa. Eu sabia que aquele era o momento que eu estava esperando. Estávamos sentados na sala de estar, quando ele me disse que queria me ver praticando sexo oral nele. Eu fiquei emocionada, pois eu estava ansiosa para experimentar isso. Eu comecei a retirar a minha roupa, enquanto ele ficava sentado, olhando para mim. Quando eu estava totalmente nua, ele se levantou e se sentou ao meu lado, me dando um beijo quente e profundo. Em seguida, ele começou a me tocar, acariciando meus seios e massageando minha barriga. Ele então se ajoelhou na minha frente e pediu para eu praticar batendo punheta nele. Eu fiquei nervosa, pois nunca tinha feito isso antes. Mas eu estava decidida a realizar o desejo dele. Então, comecei a fazer movimentos circulares com a minha mão, pressionando-a gentilmente contra ele. Quanto mais eu fazia isso, mais excitado ele ficava. Eu então mudei de posição e comecei a usar a minha boca, lambendo toda sua extensão enquanto meus dedos continuavam a acariciá-lo. Ele começou a gemer de prazer, e eu me sentia cada vez mais excitada. Então, ele me pegou pelos ombros e me puxou para cima dele, me beijando intensamente. Ele me colocou por cima dele e começou a me penetrar. Eu me sentia tão feliz e excitada, que não conseguia parar de gemer. Ele começou a me beijar de forma ainda mais quente e profunda, enquanto seu membro continuava a se mover dentro de mim. Eu sentia cada vez mais prazer, e a cada vez que eu me movia, eu me sentia cada vez mais excitada. Ele então me virou e começou a me penetrar por trás. Eu fiquei surpresa com a sua força, e tive que me segurar para não gemer alto. Ele me penetrava cada vez mais fundo, me fazendo sentir um prazer incrível. Eu não conseguia acreditar que estava tendo tanto prazer com ele. Era como se estivéssemos nos conectando de forma muito profunda. Ele então me colocou de quatro e começou a me penetrar ainda mais fundo. Eu estava louca de tanto prazer, gemendo alto enquanto ele se movia dentro de mim. Então, ele me virou e me beijou novamente, enquanto seus movimentos se tornavam mais rápidos. Ele segurou meu corpo com força e começou a gemer alto, me dizendo que estava prestes a gozar. Quando ele finalmente gozou, eu também gozei. Eu me sentia tão satisfeita e conectada a ele. Depois que acabamos, eu me deitei em seu peito e ficamos abraçados por alguns minutos. Eu estava tão feliz por termos compartilhado aquele momento tão íntimo e especial. Eu nunca tinha tido uma experiência tão maravilhosa como aquela. Eu me sentia tão conectada a ele, e tão grata por ele ter me mostrado como é praticar uma batendo punheta para o amigo.

Traí meu marido com um policial

Eu nunca imaginei trair meu marido com um policial, mas foi exatamente o que aconteceu. Eu estava fazendo compras no supermercado quando um homem alto, de uniforme policial, me abordou e começou a me perguntar sobre meus hábitos de compra. Fiquei desconfiada e tentei me afastar dele, mas ele me seguiu e me perguntou se eu queria ir ao seu apartamento para conversar. Ele me deu seu endereço e, apesar de estar ciente de que deveria me recusar, eu estava tão curiosa que aceitei o convite. Quando cheguei lá, me senti envergonhada e nervosa. Ele disse que me daria algo para beber e me ofereceu um copo de vinho. Eu aceitei e então ele me perguntou se eu queria fazer algo mais. Naquele momento, eu sabia que algo ia acontecer entre nós dois. O cheiro de seu perfume e a forma como ele me olhava me deixavam tão excitada que não consegui me controlar. Finalmente, eu disse a ele que eu queria fazer algo mais. Então, ele me beijou e começamos a nos beijar com paixão. Suas mãos começaram a deslizar sobre meu corpo. Seus dedos começaram a acariciar meus seios, meu abdômen e minha coxa. Ele me deixava tão excitada que eu quase não conseguia respirar. Quando ele começou a tirar minha roupa, eu o abracei ainda mais forte. Ele me beijou em meu pescoço e em toda a minha pele, me fazendo gemer de prazer. Quando ele começou a lamber e a chupar meus seios, eu quase desmaiei de tanto tesão. Ele me deitou na cama e começou a se movimentar sobre mim, me fazendo gemer cada vez mais alto. Suas mãos e seu corpo me envolviam, me fazendo sentir sensações incríveis. Eu não conseguia acreditar que estava traí meu marido com um policial. Sua língua e seus dedos me faziam sentir coisas que eu nunca tinha sentido antes. Eu queria ficar com ele para sempre. Ele me penetrou lentamente, me fazendo sentir cada centímetro de seu corpo. Seus movimentos eram lentos e suaves, me fazendo sentir cada vez mais prazer. Eu gemia de tanto tesão e ele aumentava a velocidade. Eu agarrei seus ombros e me entreguei àquele momento. Então, finalmente chegamos ao nosso orgasmo juntos. Depois de um curto descanso, nos vestimos e nos despedimos. Foi a noite mais incrível da minha vida e eu nunca mais me esqueci daquela experiência. Eu estava tão envolvida naquele momento que quase esqueci que eu estava traí meu marido com um policial. Eu nunca pensei que isso fosse possível, mas foi a melhor noite da minha vida.