Iniciando a putinha de Fortaleza

Eu sei que o casamento é uma coisa complicada tanto para homens quanto para mulheres. E como homem posso dizer que se você quiser ficar sem sexo, é só casar. Foi assim comigo, principalmente quando as crianças apareceram. Basta dizer que, para “facilitar as coisas”, minha esposa colocou as crianças em nossa cama para que pudessem dormir.

_É só até ele dormir? – ela disse. _Quando eles dormem, você os leva para a cama.

Não caia nessa, cara! A maior mentira! Acontece que até as crianças irem para a cama ela dormia primeiro e depois não adiantava repreender a senhora porque tudo que você conseguia era “vai embora, não vê que estou dormindo?”

E quando estava frio? Oh meu Deus. Que miséria!

Justamente naquela hora em que o sexo quente é uma delícia, ela se enrolava em cima e embaixo em um cobertor por baixo das cobertas, completamente blindada, e para chegar até ela era preciso agir como um arqueólogo, puxando, cavando, tirando entulhos, tudo… e diga “pare, sua mão está fria!” quando você chegou perto do tesouro.

Então, quando você sente falta do sexo, o que você faz? Você vai em frente. E você sabe quem é o melhor companheiro do homem depois do cachorro? Aquela vadia. Principalmente para caras como eu, de 1,68 de altura e carecas, que não são exatamente ricos e vivem de muito trabalho. Olha, não adianta ser inteligente, charmoso, engraçado, saber contar piadas e até escrever bem, porque quando você aborda uma mulher com essas minhas “qualificações” só acontece uma coisa: ela ri.

Eles não sabem que você é legal, toma banho todos os dias, respira bem, investe muito nas preliminares, aprende a massagear, adapta a pegada ao humor da menina e ainda consegue dar dois ou três mesmo depois dos 60. É não adianta. Tudo o que resta é a cadela.

Essa história aconteceu em 2010, durante uma viagem a Fortaleza para um evento organizado pela associação que contratou meus serviços jornalísticos. Fiquei uns 3 meses sem encontrar nada em casa e não tive tempo de procurar as mulheres perdidas, exatamente aquelas que eram mais procuradas. Peguei um vôo de São Paulo para Fortaleza saindo de Congonhas. No check-in, uma linda morena com uma blusa menor que seu manequim exibia um decote arrasador para altas necessidades como eu. Além disso, ela usava calças justas de lycra que exibiam a bunda dos seus sonhos e parecia que estava prestes a explodir.

_Deus, se você existe, faça a calça dela estourar agora mesmo, bem na minha frente. – perguntei olhando para o teto do aeroporto.

Qualquer coisa!

É claro que Deus existe, e a prova disso é que Ele não responde a tais canalhas. Então olhei para cima e pensei:

“Deus, o que eu fiz para você colocar aquele Satã bem na minha frente?”, pensei, empurrando meu pau para o lado para que não fizesse negócio na calça bege que eu estava usando.

Cheguei em Fortaleza e peguei um táxi até o hotel. Eu tinha uma hora e meia para chegar, tomar banho, me arrumar e ir jantar, que seria num elegante buffet perto da praia. Não queria fazer nada de especial, apenas acompanhar o presidente da associação, que deveria fazer um discurso que eu já havia escrito e enviado para ele por email. Um discurso maravilhoso! Sempre que ele lia um dos meus discursos em algum evento, todas as mulheres o cercavam e diziam:

“Nossa, que discurso lindo Ademar! De onde vem toda a inspiração?”

E o bastardo apenas respondeu: “É um presente, é um presente!”

Eu sei que ele foi para a cama com muitas mulheres por causa dos meus discursos e nunca tirei nada da minha raiva que fosse muito ruim no que diz respeito às mulheres. Um dia, há muito tempo, conheci uma garota em um clube para maiores de 45 anos e tudo que consegui dizer foi “Oi, você tem namorado?”

Então, do nada, Deus se lembrou desse careca modesto e com um pênis voraz. Dentro do táxi, a caminho do hotel, o motorista me olhou pelo retrovisor e perguntou:

_Você é de São Paulo?

Sim, eu estava.

Começamos a conversar e ele veio até mim com isto:

_Tenho uma amiga, vizinha, que está se divorciando do marido porque o cara é um bêbado que bate nela. Ainda bem que eles não têm filhos. E como ela precisa do dinheiro, ela decidiu fazer algumas programações até que as coisas se resolvessem. Ela não é uma prostituta, ela só precisa de algum dinheiro. Você não estaria interessado em fazer um pequeno show com ela? Vou levá-la ao hotel dela.

Imagine a situação: você está no deserto, em uma seca miserável, no meio de uma tempestade de areia, sua boca está seca, e um cara montado em um camelo aparece e pergunta se você quer uma água boa, fresca e deliciosa.

Mas então uma voz em minha mente disse:

“Saia, você está uma bagunça!”

Deus estava falando comigo? É sempre assim. Não tive sorte, então as chances de a mulher estar realmente uma bagunça eram altas. Pensei por um momento e respondi:

_Não posso agora porque vou jantar e não sei quanto tempo vai demorar.

_E o que você vai fazer então? Vou levá-la para o hotel e ela vai esperar você voltar, hein? O que você acha? O hotel onde você vai ficar é muito simpático com garotas de programa, elas podem esperar no sofá da recepção. Ela me disse que não quer idiotas e você parece um cara legal.

“Cara legal”, repeti para mim mesmo. Eu era? Acho que sim. Eu definitivamente não queria bater nela. Apenas alguns tapinhas na bunda. Oh pare com isso! Olhei para o cara por alguns segundos antes de dizer:

_Ela é feia, não é? Confessar! Ele é um bagunceiro, um monstro, tem três olhos e nariz arrebitado, fala a verdade! É um travesti?

O taxista não rolou de tanto rir porque estava dirigindo.

_ Que doido! Fátima é tão fofa! Mulher grande, alta, magra, menina, peitos, bunda linda, buceta, sem pau, cabelos cacheados, cabeça de cabelo, lindo, grande, deusa, homem!

“Fátima?” Eu refleti para mim mesmo. “Mó da Deusa?”

Que puta você conhece chamada Fátima? Conheço muitas putas, mas nunca fiz sexo com uma chamada Fátima. Tem Marcinha, Duda, Fê, Graciele, Gisele, Bianca, Satiko, Lia, muitas, mas Fátima?

_ Você comeu? – perguntei e ele riu.

_ Não cara, ela é vizinha, e se minha mulher me pegar com ela ou alguém, eu não vou morrer, vou ficar sem pau e, olha, eu não quero isso, eu gosto do meu pau. – ele respondeu sem tremer.

Penso um pouco na oferta dele e tomo uma decisão.

_Ei, vamos combinar? Você a leva para o hotel e ela me espera na recepção. Vou revisar quando chegar lá. Se for feio, rejeito imediatamente. Pode ser assim?

Ele riu e disse:

_ FECHADO! Você vai ficar louco para comê-lo. Só há uma coisa, cara. Este será o primeiro show dela, então você terá que ir em frente. Pra falar a verdade, ela pode até desistir, sabe?

_ Retornar? O que você quer dizer com cara? Eu sou péssimo cantando. Quando tenho que cantar para ela, ela pula da janela do hotel.

Ele riu e logo chegamos ao hotel. Tomei banho e decidi adiar a masturbação, já que havia alguma chance de meu namorado lá embaixo se recompor naquela noite, afinal. Fui a um evento e o Ademar estava lá, rodeado da esposa e de um grupo de gerentes e diretores de RH que participavam dos eventos que ele promovia.

“Logo ele vai ler meu discurso e as mulheres vão derreter!”, pensei.

O tempo foi se arrastando e só pensei em Fátima. Até imaginei ela, uma mulher grande, alta, peituda, com uma bunda grande, mas só conseguia pensar na morena no saguão do aeroporto, o vestido tentando explodir no corpo.

O evento terminou e Ademar fez sucesso. Ao sair, acenei para ele que estava com pressa porque iria jantar com os jornalistas de Fortaleza. Mentira! o que você queria dizer O que Fátima vai comer?

Cheguei ao hotel e subi as escadas. O hotel tinha aquelas portas que abrem com cartão magnético, então não precisei pegar a chave na recepção. Mesmo assim, o cara que estava lá naquele momento acenou para mim e me chamou.

_Uma garota está te esperando no sofá da recepção.

– ele disse.

Olhei para o sofá da recepção e tudo que vi foi uma enorme cabeleira. Ela estava de costas para mim. Eu não sabia dizer se ela era bonita ou gostosa. Fiquei nervoso e resolvi recorrer. Perguntei ao cara do hotel:

_Você a viu? Ela é bonita?

Ele riu e respondeu:

_Não sei se temos o mesmo gosto senhor, mas pelo meu padrão e pelo meu gosto ela é muito interessante.

“Muito interessante?” Eu refleti para mim mesmo.

_E posso te levar para o meu quarto?

_ Sim claro! Ele pode até passar a noite com você sem nenhum custo extra.

Agradeci e segui em direção a Fátima. “Muito interessante”, disse o cara. Eu conheço um homem. Quando um homem diz que uma mulher é “interessante”, é porque ela é. Mas você vê meu amigo, você que é um humano como eu, para um cara à beira do desespero sem pegar a esposa há 3 longos meses, “interessante” vira “deusa do milênio!”, entendeu?

Aproximei-me dela por trás e perguntei: _ Fátimo?

Ela se virou e olhou para mim e sorriu. E senti meu pau subindo rápido! Minha amiguinha de Fátima aprovou 100%. Ela era fofa! Rosto meigo e macio, sobrancelhas pequenas e bem cuidadas, tez bonita, morena, sem manchas, nariz pequeno e olhos castanhos escuros, tudo emoldurado por uma enorme cabeleira, com cabelos cacheados que caíam quase até os ombros. burro. Ela não tinha muitos seios e era alta, com costas que, mesmo que você não pudesse ver, dava para sentir sua presença incrível e explosiva. Ela sorriu e perguntou:

_Fábio?

_ Eu mesmo!

Claro que meu nome não é Fábio, cara! Abordei o taxista no local e informei na recepção que poderia aparecer alguém perguntando pelo Fábio, então ele deveria ter me deixado esperando.

_Vamos subir?

Ela sorriu e caminhou na minha frente em direção ao elevador. Amigos, deixe-me contar a vocês! A bunda de Fátima merece um Prêmio Nobel. Redondo, proeminente, que se movia de um lado para o outro enquanto ela caminhava, como se dissesse: “Siga-me!”

Eu segui. Como o elevador tinha câmera, evitei capturar ali mesmo. Ela era mais alta que eu e comecei a olhar para o jeito que ela se vestia. Ela olhou para onde os números dos andares aparecem. Eu estava no sétimo andar. E o elevador era lento.

Vou começar pelos pés. Ela usava sapatos com salto não muito alto, típico de uma mulher casada. Ela usava meia-calça e uma saia tubinho azul escura que cobria os joelhos e deixava a bunda bem marcada. Não havia sinal, então poderia ser que ela estivesse apenas usando meias. Ela usava uma camiseta branca com mangas até o cotovelo que era justa e exibia um sutiã branco e volumoso que a fazia parecer que tinha mais seios do que realmente tinha. Conheço truques femininos.

Olhei para todas as suas roupas e depois para seu rosto e percebi que ela estava com uma expressão preocupada. Esta era definitivamente uma roupa minúscula, para um encontro com uma namorada em potencial, nunca uma roupa decente.

_ Como vai você? – Perguntei.

_ Tudo. – ela disse e nada mais.

Seu rosto, seu comportamento, sua expressão cansada e frustrada fizeram meu amigo se encolher novamente. Ele parecia estar contando com o fato de que Fátima, que planejava fazer alguns programas para ganhar algum dinheiro, não viria.

Entramos na sala, acendi a luz e ela se sentou em uma cadeira no que parecia ser uma pequena sala de estar com uma mesa e duas cadeiras. Tirei minha jaqueta e pendurei-a em uma das cadeiras. Verifiquei os bolsos da jaqueta e apalpei o pacote de preservativos e gel KY que comprei na farmácia antes de voltar para o hotel. Por que gel KY? Uma vez comi uma putinha do Café Photo que era excelente e uma ótima professora. E ela me disse:

“Os homens pensam que só porque uma mulher está molhada ela está pronta para ser fodida, e às vezes não está. Quando você a inserir, vai doer e ela vai se lembrar da dor. E então sua imagem diminui durante o sexo. Use KY!”

_ Você quer tomar um banho? – Perguntei.

_Tomei banho antes de sair de casa. — ela respondeu sem olhar para mim.

Pensei em dizer que tomei banho também e resolvi tomar banho para dar um descanso a ela. Minha esperança, minha grande esperança, era que eu a encontrasse nua, nua, quando saísse do banho.

Tomei um banho rápido e como estava prestes a sair sem roupa resolvi ser cauteloso e coloquei a boxer que estava usando. Saí para a pequena sala do apartamento e surpresa! Ela estava sentada na mesma cadeira, completamente vestida, olhando para a mesa.

“Merda!” Eu refleti para mim mesmo. “Por que essas coisas só acontecem comigo?”

_ Oi, como vai? – Perguntei.

_Não sei se está tudo bem. – ela disse. _Não sei se quero fazer isso.

Evitei rir. Eu estava desesperado. E se eu parecesse com Brad Pitt, ela diria isso? E se eu fosse como Russell Crowe, Gladiador, alto, lindo, lindo, ela estaria pensando se quer me dar e continuar recebendo? Ah, o preço que combinamos foi de 300,00 reais e olha, deixa eu te contar, era muito dinheiro na época!

_Olha, eu nunca te obrigaria a fazer algo que você não queira. – eu disse e isso me surpreendeu. Nosso! Que frase linda! _Se você não quer fazer sexo comigo, pode ter certeza, você não vai me incomodar, eu não vou ficar com raiva, jamais discutiria com você.

Ela olhou para mim e depois para os sapatos e não disse nada.

“Deus, e agora? O que devo fazer? Devo ligar para o porteiro e pedir que a levem embora?”, pensei angustiado. O que fazer? A mulher sentou-se naquela cadeira e decidiu reavaliar a sua vida naquele momento.

_ Qual é o problema? O cara no táxi estava me contando sobre seu marido e sua decisão de começar uma nova vida e fazer alguns programas. Achei que já estava decidido na sua cabeça. – Eu disse.

É nosso! Cavalheiros! Mais uma linda frase! Digno de Oscar.

_Eu decidi que sim! Mas agora tenho dúvidas.

_Eu entendo, garota. Não sou exatamente um cara bonito, galã, bonito e tudo mais.

– Eu respondi.

_ Não! Não é isso! Você é um cara ótimo e interessante, mas não sei, tinha uma pergunta.

Interessante? Eu quase ri.

_Olha, vou te contar uma coisa. – eu disse olhando para o meu celular. _É quase meia-noite e amanhã tenho que levantar às 6h30, tomar um café e pegar meu voo para São Paulo. Se você está em dúvida, não quero te forçar nada, ok? Eu odiaria fazer sexo com alguém que tem medo de mim, está com raiva ou enojado de mim. Então vamos fazer assim. Você não precisa fazer nada, você pode ir embora. Te dou 100,00 para pegar um táxi e comer alguma coisa e você não precisa dormir comigo. “Eu disse vendo a dor no rosto dela.

_Não estou com nojo de você, eu já te disse, você é um cara legal. Até me lembra meu pai. ” ela disse, e senti uma pontada de dor no meu amigo lá embaixo. _ Me desculpe! Não foi minha intenção, eu disse, pela aparência, pelo jeito que você fala, essas coisas, você não é meu pai.

“Vá lá e beije ela na boca!” disse a voz em minha mente e mesmo assim eu não faria isso mesmo que estivesse morto porque se ela começasse a gritar que eu a estava atacando eu causaria uma bagunça terrível no Ceará. , a terra das pessoas baixas.

_Tudo bem, agora você estragou tudo.- eu disse. _Pode ir, vai! – eu disse e tirei uma nota de loja da minha carteira.

_Não quero seu dinheiro. – ela disse. _Você pode me deixar pensar um pouco? Só um pouco?

Balancei a cabeça e vesti a calça, a camisa e os sapatos sem meias, coloquei a carteira e o celular no bolso e deixei 100,00 na mesa na frente dela.

_Vou descer no bar, tomar uma vodca e volto em meia hora, ok? – eu disse e ela assentiu com a cabeça. _Se quiser pegar esse dinheiro e ir embora, não tem problema.

Saí da sala e desci até o bar. O cara que estava atendendo o telefone naquele momento olhou para mim com um sorriso bobo no rosto.

_ Já? – ele perguntou.

_Já gosta?

_Você não notou aquela mulher grandona? – ele perguntou e riu.

_Me dá vodca, vamos. – perguntei pensando que o cara estava sendo rude. _Ele está decidindo se vai me dar.

O cara riu antes de dizer: _Cara, vou te dar uma dica valiosa de graça! As mulheres cearenses são assim. Você tem que mostrar que você a quer, quer comê-la, que ela é tudo para você, que ela é a única, o paraíso da sua vida, sabe? Ele se aproxima, agarra ela, diz que ela é linda, diz que ela é charmosa, começa a acariciar suas coxas, bunda, seios, e quando você menos espera o vulcão explode. – ele disse e fez gestos de alguém atacando uma garota sexy.

Eu estava rindo. Afinal, o cara não era ruim. Mas eu não queria ir parar no presídio cearense só porque uma mulher não decidiu se queria ser puta e me deu

300,00.

_É mesmo uma puta? – Perguntei.

_Puta? Olá! Olhar! Não! Amigo, não diga isso! Ela? Esse avião não é uma merda, meu amigo! Já vi um milhão de vadias sentadas onde ela sentou, e posso garantir que ela não é nenhuma vadia. – disse ele, caminhando até mim para continuar: _ Fiquei uma hora olhando aquela gostosa antes de você chegar, e olha, ela não olhou para mim nenhuma vez. Não é besteira, meu amigo!

_ Então é isso. – falei e comecei a beber vodca e prestando atenção no relógio do bar.

Pedi outra vodca.

E o terceiro.

Quando completou meia hora, paguei ao cara e voltei para o elevador.

_ Agora vá! – disse o cara do bar e eu ri.

Ao chegar ao quarto descobri que tinha deixado o cartão magnético no apartamento e tive que tocar a campainha.

_ Sou eu! – Eu disse. _Esqueci meu cartão lá.

Qualquer coisa. Silêncio.

Joguei de novo.

Silêncio.

“Merda!” Eu refleti para mim mesmo.

Tive que voltar até a recepção e pegar outro cartão, sem saber se ela havia saído ou pulado pela janela do quarto do sétimo andar.

Então a porta se abriu.

E olha, minha amiga, minha amiga, as amigas lindas da Casa dos Contos, foi como se a porta do paraíso das mulheres bonitas tivesse se aberto para mim. EU! O homenzinho careca que estava seco há 3 meses estava finalmente recebendo um presente divino. Fátima estava ali com as mãos na porta olhando para mim com os seios nus, vestindo apenas calcinha branca de mulher casada e sapato de salto alto. Você poderia ler em seus olhos: “Coma-me, seu imprestável!”

Meu inseparável parceiro abaixo foi de zero a 100 em 1 segundo.

Entrei e agarrei-a e comecei a beijar seu pescoço, bochechas e boca sem lábios.

_ Você me perdoa? – ela disse.

Eu não respondi. Em vez de responder eu disse:

_ Você é linda! A mulher mais linda que já conheci! Você é uma gata excitada, incrível e charmosa. Venha aqui querido!

Ela ficou arrepiada e eu comecei a beijar seus seios e chupar, não nos mamilos, mas ao redor deles, perto deles. Escreva, cara! Esse é um truque que aprendi com a mesma puta linda do Café Photo. Ela me disse que os homens pecam porque vão direto ao ponto e nunca deveriam ir direto ao ponto. Eles deveriam cercar, beijar e chupar os arredores, observar a mulher e quando começarem a gemer, deixar a tropa de choque ir e ir em frente.

_ Sua cearense gostosa, putinha deliciosa, que mulher linda! – Eu disse.

Ela começou a gemer rapidamente e então eu ataquei as pontas dos seus seios pequenos que cabiam completamente na minha boca. Ela cambaleou, fechou a porta aberta e se afastou de mim, me arrastando para o quarto. Tirei a camisa e a calça e quando chegamos já estava de cueca.

Ela se deitou e olhou para mim. Ela estava esticada na cama, com as pernas juntas, como se fosse ao médico fazer um exame clínico. Voltei a atacar seu pescoço, beijando, chupando delicadamente para não deixar marcas e avançando bem devagar em direção aos seus seios.

_Sua putinha, gostosa de rosto lindo e seios meigos!

“Se ele abrir as pernas, vou afundar ainda mais!”, pensei.

Ao acariciar seus seios e beijar sua barriga, notei que suas pernas se abriam suavemente como se fosse um convite à felicidade.

“É bingo!” Eu refleti para mim mesmo.

_Você é uma mulher tesuda, uma delícia encantadora, uma gata incomparável!

Voltei a chupar-lhe os seios e a acariciar suavemente a sua rata, inserindo o meu dedo e acariciando toda a sua volta.

“Não vá direto ao ponto!” Ouvi a garota do Café Photo me contar.

Fátima já estava gemendo alto e bastante molhada quando saí da técnica do “ginecologista” para inserir o dedo e mergulhar na bucetinha paradisíaca, cheirosa e pequena de cavalo que ela era.

_Que delícia, querido! – eu disse baixinho. _Fá, você é incrível!

Fã? Que truque baixo, cara! Chame-a assim! Mas também aprendi isso com a putinha do Café Photo que me disse que eu precisava ter intimidade com a mulher para ficar mais fácil transar com ela.

Ela gritou, e eu a ouvi dizer: _ Ah, seu querido! Mostre ao corno como se faz!

Por um momento meu sangue congelou nas veias! Levantei o rosto e olhei em volta, pensei mesmo que o marido dela estava ali, pronto para me esfaquear com um facão cearense de 1,5 metro de comprimento.

Ela olhou para mim e riu alto antes de dizer.

_Estava pensando no meu marido, ele não está aqui, seu idiota! ela disse e riu e abriu ainda mais as pernas.

Mergulhei novamente em sua buceta e belisquei sua bunda, ouvi ela gritar.

_Seu marido é trouxa, burro, merece cada corno seu, linda. Você é a coisa mais linda e deliciosa que já comi na vida! Que animal é esse! – falei e ela soltou um suspiro profundo, gemendo e tremendo com a porra que engolfou seu corpo inteiro, sacudindo-a e fazendo-a gritar.

Continuei a esfregar-lhe a rata, os seios e os lados das coxas, beijando-lhe os lábios sem usar a minha língua.

_ Coma-me, vai! – eu a ouvi dizer.

Corri para a sala para pegar o pacote de preservativos e o tubo KY e voltei em 1,5 segundos. Registro! Ela rolou na cama para revelar aquela bunda extraordinária, digna de uma estátua, prêmio Nobel para burros, que agora eu podia ver em 3D ao vivo e em cores, sem óculos escuros.

Beijei seu pescoço e falei: _ Sua puta gostosa, que bunda celestial você tem, linda!

Ela riu baixinho e se mexeu um pouco sem palavras…

Coloquei a camisinha sem parar de acariciá-la nas coxas, na bucetinha e no bumbum, até passando suavemente na minha bunda que parecia nunca ter levado um pau. Apliquei KY no pau junto com a camisinha para facilitar a penetração.

Deitei-me em cima dela, beijei-a de volta e coloquei a minha pila na rata dela por trás. Quando minha amiga de baixo estava prestes a entrar nela, toda alegre e áspera, mordi de leve seu pescoço e penetrei fundo nela, dizendo: _ Que mulher linda você é, Fa! Você é uma mulher incrível, sexy, uma putinha linda que merece o melhor pau do mundo!

_ Seu! – ela disse.

Mais um conselho da vadia do Café Photo.

Quando você estiver se debatendo, não apenas se atrapalhe. Isso é algo limitado para rapazes. Mulher é água. O homem é fogo. A água precisa ser aquecida para ferver. E se você errar, a água te extingue rapidamente. Então comecei a penetrá-la suavemente, alcancei seu corpo e agarrei seu seio direito e toquei seu mamilo duro. Ela até levantou um pouco o peito para que eu pudesse agarrá-la com mais facilidade. Beijei seu pescoço, ombros e partes de suas costas com a boca sem parar para empurrar suavemente, senti ela rolar e jogar sua buceta contra meu pau. Com a outra mão acariciei sua coxa esquerda e ocasionalmente apertei sua bunda, lado esquerdo e direito, correndo os dedos para sentir meu pau entrando nela com muita facilidade.

Ela gemeu alto e pressionou sua bunda contra mim para empalar-se ainda mais fundo no meu pau.

_Estou chupando de novo, seu filho da puta! – ela disse em voz alta.

Filho da puta? Imediatamente me lembrei de outra lição da putinha do Café Photo. Se você for um bom aluno, aprenderá muito com as prostitutas. E ela me disse uma vez, quando estava me xingando enquanto eu transava com ela: “Se uma mulher te xinga enquanto goza, cara, é hora de brincar com ela. Agarre o cabelo dela, dê um tapa na cara dela, dê um tapa no pau dela, aperte ela, xinge ela, e aí a maluca vai esguichar feito uma cachoeira!’

Desloquei o peso do meu corpo sobre Fátima, enfiando meu pau bem fundo e mordendo de leve seu pescoço: _ Sua puta! Mexa essa bunda, vadia!

Dei um tapa de leve na bunda dela porque não queria que ela pensasse que eu era como seu marido abusivo. Aí eu ouço ele dizer: _ Strike, seu fracote, foi assim que ele bateu, seu idiota! Ataque como um homem!

Olha, ela acidentalmente abriu a porta para o monstro trepador que mora na minha alma. Tirei minha mão de seu peito, agarrei seu cabelo, puxei-o para trás e dei três tapas fortes em seu rosto. Ela gemeu alto enquanto sorria. Soltei seu cabelo, tirei meu pau de sua boceta e entrei em sua bunda com força e autoridade. Gritando e gemendo alto, ela empurrou sua bunda contra mim e a deixou empalada em meu pau enquanto começava a rolar suavemente, provavelmente se acostumando com o pau dentro dela.

-_Sua puta deliciosa, puta, puta atrevida! Eu vou acabar com você, sua puta! – falei no ouvido dela enquanto colocava e colocava e colocava.

_ Bata em mim, seu desgraçado, bata em mim!

Apertei sua bunda, segurei seus quadris com força e fui ainda mais fundo, puxando seus cabelos novamente, beijando sua boca e dando tapinhas em sua bochecha já avermelhada.

“Desacelerar!” Eu refleti para mim mesmo.

Ela começou a gemer e tremer e enfiar a bunda no meu pau, me forçando a ir fundo, o mais fundo possível. Então, de repente, ela parou de fazer o que estava fazendo e caiu para o lado como uma máquina desligando.

“Não entrar em pânico!” Eu refleti para mim mesmo.

Coloquei minha mão direita em seu pescoço e senti seu coração batendo forte e vivo. Eu lentamente a virei e coloquei meu ouvido em seu peito e seu coração batia rápido e rítmico como o de uma menina.

“A putinha desmaiou”, pensei.

_ Ah não, não senhora, ainda não esguichei. – Eu disse.

Meu pau explodiu.

Virei Fátima totalmente para frente. Fui ao banheiro, peguei papel higiênico e tirei a camisinha, que usei para foder o cuzinho dela. Limpei o líquido que se acumulou no meu pau, coloquei outra camisinha e relubrifiquei com KY. Abri suas pernas e entrei em sua boceta mesmo ela estando inconsciente.

_ Desmaiou ou você não vai apanhar de qualquer jeito. – Eu disse.

Comecei a empurrar lentamente enquanto chupava seus seios, beijando seu pescoço e dizendo em seu ouvido: _ Acorda vadia, acorda vadia, vou molhar sua bucetinha vadia, vai vadia, acorda, estou vou te foder, até terminar sua bucetinha, sua vadia gostosa!

Vim como se não viesse há muito tempo. Tinha tanta semente na camisinha que quase a perdi por dentro. Tirei a camisinha no último minuto, antes que ela caísse completamente do meu pau. Limpei-me com papel higiênico e deitei ao lado dela, tentando respirar normalmente novamente.

Fui ao banheiro, tomei outro banho e quando saí, a Fátima ainda estava deitada, dormindo com as pernas abertas, um meio sorriso no rosto. Ela era realmente linda. Embora ela fosse forte, tudo em seu corpo estava no lugar certo. Prazer feminino. Era incompreensível como poderia haver um cara que pudesse comer essa coisa linda todos os dias e querer bater nela e frustrá-la e fazê-la odiá-lo. Existem muitos homens estúpidos no mundo!

Ouvi meu celular vibrar e tive certeza que não era meu porque o meu não estava vibrando, estava tocando. E quando estava saindo do evento liguei para minha esposa avisando que iria dormir no hotel.

Fui até a sala e vi a bolsa dela em cima da mesa. Abri e lá o celular dela vibrou. Estava escrito: “Benhê”. Poderia ser um corno? Deixei meu celular na bolsa dela e voltei para o quarto. Ela ainda estava dormindo.

Vê-la dormindo tão pacificamente me deixou feliz durante a noite. Apaguei a luz, cobri-a e deitei ao lado dela, segurando seu peito e cheirando sua nuca. Ela se mexeu, tossiu baixinho e perguntou: _ Que horas são?

_Duas horas da manhã. – Eu respondi.

Achei que ele fosse fugir.

_Quem é Benhê? – perguntei e ela riu.

_Meu celular vibrou?

_ Sim, vibrou, fui ver.

_Isso é um corno.

– ela disse com desprezo.

_Resolvi me separar dele!

Acariciei seu pescoço e perguntei: _ Que horas você decidiu?

Ela riu: _Quando você comeu meu cuzinho e eu me empurrei feito uma louca. – ela disse rindo e se virou para mim. _Hoje gostei mais aqui com você do que em dois anos de casamento com meu marido. Ah, isso é o suficiente, não é?

_Não é melhor você ir? Ele já ligou. – Eu disse.

Ela riu e procurou meu pau debaixo dos lençóis.

_Demora muito para voltar aqui? Eu quero mais!

Meu amigo abaixo não decepcionou. Em poucos minutos eu estava transando com ela de novo, no escuro, fodendo, chupando seus seios e beijando-a como se ela fosse minha esposa no início do nosso casamento. No dia seguinte tomamos café no hotel. Deixei a conta para Ademar pagar e pegamos o mesmo táxi que me levou ao aeroporto antes de eu levá-la para a casa dele.

O que você achou desse conto erótico?

Clique nas estrelas

Média da classificação 4.8 / 5. Número de votos: 13

Nenhum voto até agora! Seja o primeiro a avaliar este conto.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

free web tracker