Gordinha também ama, goza, trai e engravida

Gordinha também ama, goza, trai e engravida

Pessoal, erros serão normais porque estou escrevendo de um celular.

Quem acompanha meus contos sabe que sou amante do prazer feminino, sou do tipo que não se importa de sair sem gozar se gozar muito na minha boca e no meu pau. Bem, tive sorte naquele dia.

Vou trabalhar, faço vendas de porta em porta, estava em Ferraz de Vasconcelos, Grande SP, vendendo por telefone, quando bati em uma casa modesta, daquelas com paredes baixas e porta sem trinco, então Fui recebido com a seguinte frase:

– Não posso responder, estou tomando banho, estou nu.

Pode parecer ficção, mas não é, realmente aconteceu. Então eu corajosamente perguntei se ela precisava de ajuda para ensaboar as costas e para minha surpresa ela gritou

– O portão está aberto e a porta também.

Ele estava brigando com a esposa há uma semana, cansado de brigar, então entrei com uma tocha acesa. Abri a porta de casa e me deparei com um lugar modesto mas bem organizado, corri até o banheiro e parei na porta, dentro tinha uma linda gordinha, louca e cabelos longos, rosto de modelo plus size, seios e bunda gigantescos para deixar as garotas magras com inveja.

– Vejo que você precisa muito de ajuda porque com esse tamanho deve dar muito trabalho lavar tudo.

Ela olhou para mim com raiva.

– Você acha que estou gorda, então pode ir embora, seu desgraçado, igual meu marido, um bando de preguiçosos.

– Não querido, achei que minha bunda era grande demais para me lavar, precisava de ajuda profissional. Você é a gordinha mais gostosa e linda que eu já vi, se seu marido não te quer ele não presta, hoje você terá um macho dentro de você.

Eu a segui e quase sem roupa caí e matei ela naquela bunda. Dizem que se um trabalhador for bom ele não vai nem dar oi para o patrão, ele consegue se virar com a mão suja e foi isso que eu fiz, chupei aquela bucetinha com tanta vontade que ela foi obrigada a encostar na parede para evite cair e bater na parede várias vezes. minha língua.

Parece que ninguém nunca chupou ela porque no começo ela se sentiu estranha e desconfortável, principalmente quando eu virei seu traseiro, mas depois ela se contorceu e implorou para não parar. Após cerca de 20 minutos de sucção decidi mudar o jogo, por isso levantei-me e tirei a minha t-shirt encharcada e mostrei-lhe a minha pila e disse-lhe para a chupar também. Detalhe, sou negra, 1,78, 70kg, careca por opção e alargada, tenho paus de 20cm, alguma coisa a assustou.

– Calma amor, ele não vai morder ou machucar você, ele apenas chupa suavemente, comece só pela cabeça se não conseguir colocar tudo na boca dele.

– Mas não cabe nem tudo, meu marido não tem nem metade e ainda é magro, imagina que o seu é grande e gordo.

– Ok, vamos sair daqui e ir para o quarto, assim você vai se sentir cada vez melhor.

Chegamos ao quarto, a água estava espalhada por todos os lados pois não havia toalhas no banheiro para nós dois e nosso tesão não nos permitia tomar cuidado, então joguei ela na cama que estava feita como uma princesinha. e recorreu àquele gatinho. O engraçado é que ela estava apertada até para um dedo, eu teria que empurrá-la muito para entrar nela e foi o que fiz, fiquei apalpando ela, chupando, dando tapinhas no clitóris, lambendo seu cuzinho e dedilhando sua bucetinha tão forte que começou a vazar loucamente, então eu sabia que era a minha hora.

Fui até minha boca, beijei seu corpo, dei atenção especial aos seus seios grandes, algo que a deixou maluca, depois fui até seu pescoço, lambi suas orelhas e quando cheguei em sua boca – que boca branquinha tinha, rosa, macio, macio e delicioso – coloquei um pau na entrada da buceta dela e quando coloquei a língua na boca dela, o pau entrou na buceta dela também, foi mais fácil que um dedo, entrou como um faca quente na manteiga. Ela arregalou os olhos e abraçou minhas costas enquanto levantava os quadris.

Foi algo inexplicável, coloquei metade na primeira e na segunda bomba foi até ela gritar. Tive que beijá-la enquanto todos usavam a antiga técnica de 4 bemol e 1 profundo porque se eu deixasse sua boca livre ela faria uma cena e eu sabia por experiência própria que qualquer barulho seria ouvido no portão e pelos vizinhos deixando tudo azedo porque ela era casada… e eu também.

Coloquei ela de quatro na cama, dei um travesseiro para ela morder e coloquei ela na boca de novo, aquela bunda era meu alvo então enfiei a língua e toquei sua buceta depois virei até que 3 dedos cabessem na bunda dela .

– Por favor, eu nunca dei a mínima, não faça isso comigo.

-Cala a boca vadia, ele já tem 3 dedos, se nunca fez isso é porque seu marido é um preguiçoso, hoje sou seu homem e vou pegar ele.

Sem esperar resposta enfiei ela toda na buceta, dessa vez ela gritou alto e pediu para ficar quieta, então enfiei o dedo no cuzinho dela e ela esqueceu de se acalmar e pediu mais até gozar e morder a fronha. Saí de cima dela sem dizer uma palavra e fui até onde estavam minhas coisas, depois voltei com um pacote na mão e um grande sorriso no rosto.

Quem me segue sabe que vendo produtos de sex shop para complementar minha renda, e eu tinha alguns itens comigo naquele dia, já estavam vendidos, mas os clientes teriam que esperar mais um pouco porque seriam usados ​​naquele dia. Então, sem pedir permissão a ela, enfiei meio tubo de gel na bunda dela e só quando ela estava dentro é que apertei para liberar o lubrificante bem no fundo, depois coloquei um pequeno vibrador na bunda dela e liguei no máximo, então ela pulou . . Eu disse a ela para não se virar e manter a boca fechada porque eu estava no comando dela e da casa hoje.

Caí em cima da buceta dela e fiz ela estremecer e cair em cima de mim, coloquei ela em posição de movimento e a surpreendi com uma bala no clitóris – masturbador clitoriano, procure no Google – e ela gritou de prazer, então eu consegui levantei sem tirar os vibradores e coloquei meu pau na bucetinha dela e depois coloquei uma bala nela, essa mulher mijou na cama toda, aí um líquido branco como o esperma de um homem começou a escorrer, ela ejaculou, foi lindo, eu já sempre tive sorte, sempre acho que lá eles borrifam lá fora.

Tirei o pau dela e falei para ela usar a bala na bunda dela, depois tirei o vibrador da bunda dela e coloquei o pau no lugar, isso a fez chorar um pouco, alguns reclamaram da dor, mas no final ela estava rolando como uma louca e gritou no travesseiro. Eu nem sabia quantas vezes a mulher gozou, só sabia que ela queria mais mas eu queria gozar também e estava cansado de tanto bombeá-la então peguei os vibradores e a ajudei. porra.

ela estava levantando, não aguentava, tremia muito, então fiz ela sentar e fui deitar naquela cama, encharcada e grudada no sêmen da mulher.

Mandei ele entrar e me montar, queria ver do que ele era capaz.

– Merda, você acha mesmo que eu tenho forças para isso depois da surra que você me deu? Já terminei, preciso descansar.

Fiquei um pouco irritado mas aceitei, afinal ele estava focado no prazer dela e não no meu, então deixei ela deitar e começamos a conversar. Descobri que o nome dela era Carla, ela tinha 32 anos e era casada há 7, tinha uma filha pequena que hoje estava na casa da avó e o marido trabalhava até as 20h então ela ficava sozinha. Ela também disse que o marido a humilhou porque ela engordou depois da gravidez e não emagreceu mais, ele não a procurou porque disse que era nojento comer gordura.

Ela estava falando tudo isso enquanto chorava, então eu a incentivei dizendo que ela era incrível, linda, que era uma gordinha diferente porque não tinha barriga, tinha uma bunda linda e seios matadores, e que eu duvidava de homens não iria secá-la enquanto ela estava no banheiro. Ela confidenciou que viu os homens olhando, mas não achou que fosse luxúria, mas sim uma brincadeira, pois ela era muito gorda e sua auto-estima estava fora de cogitação.

Aproveitei nossa intimidade e pedi para ela colocar uma calcinha para eu tirar algumas fotos, ela fez isso com prazer, acho que há muito tempo não se sentia tão feminina e desejada. Então tirei dezenas de fotos dela naquela lingerie, com suas roupas provocantes, e depois deitamos novamente para conferir tudo. Surpreendentemente ela achou que ficava bonita em todos eles, foi aí que a convidei para posar para o catálogo de todos e falei que gostaria de fazer, seria para roupas eróticas, mas ela ficaria linda e eles também iriam fazer ela algum dinheiro.

– Sério, Eduardo, você colocaria uma gorda como eu na sua revista?

– Não é gordo, gordo. E sim, se você aceitar, ainda sobrará algum dinheiro para você.

Ela aceitou imediatamente, fazia tempo que não trabalhava por falta de autoestima, então ficou animada e resolveu me recompensar. Ela tirou a roupa que vestiu, mas eu disse para ela ficar com a calcinha e o salto alto, então ela subiu em cima de mim. Eu apenas puxei a calcinha para baixo e sem nenhum problema, principalmente porque ela estava com tesão, inseri a espada com prazer.

Ela cavalgou e gozou no meu pau enquanto eu a masturbava e chupava seus peitos. Ela gritou que o corno estava enfiando nela, ela chupou e dormiu, porque eu ainda não tinha gozado e ela já tinha parado de contar quantas vezes esguichou. Depois virei-a para se sentar de costas para mim e fiz com que ela se movesse para cima e para baixo com aquele rabo pendurado à minha frente.

Sem pedir ela tirou da bucetinha e colocou no cuzinho, parece que viciei ela em anal, coisa que ela aprendeu bem e me fez continuar. Não aguentei mais, tive vontade de gozar, então fui do cuzinho até a buceta dela e sem pedir subi no útero dela, ela até me deixou sair, mas fiz ela subir e descer mais rápido e ela finalmente gozou Comigo.

Estava uma manhã linda, depois daquela gozada fomos tomar banho de novo onde entrei correndo mas dessa vez bem mais rápido e depois saímos e ela me fez almoçar, comemos, conversamos, trocamos telefone e antes de sair esguichei mais um vez, mas desta vez na boca dela porque eu nunca esguichei, e depois fui embora.

Tiramos as fotos prometidas, paguei 2.000 pelo esforço dela e até recomendei ela para amigas que tinham loja no Sutiãs, ela fez sucesso, tirou diversas fotos para marcas famosas, passou a se vestir de princesa e se sentir uma mulher de verdade. Nesse meio tempo comi muito, só paramos porque ela sumiu há mais de um ano, senti muita falta dela. Um dia, passeando pelo Brás, reencontrei ela, ainda mais linda, ela havia emagrecido, estava exuberante e ainda mais gostosa.

Ela me confessou que se separou do marido, mandou ele embora de casa, não precisava de quem não a respeitasse e agora vive muito bem a vida, faz academia, tira fotos e cuida dela crianças. Eu queria saber quais filhos ela tem, se só tiver um, então ela disse que quando descobriu que estava grávida largou o marido e decidiu que não queria que ele fosse o pai da criança.

Fiquei curioso para ver uma foto das crianças e então vi o filho loiro mais velho brincando com o bebê negro de um ano no berço.

– Ele não se parece com o pai? ela perguntou.

Olhei para ela surpreso e a vi sorrindo.

– Se eu soubesse que era tão bom, teria bebido outro. Mas para isso ele precisaria do pai novamente.

Escusado será dizer que o pau estava em pé e eu quase a arrastei de lá para o primeiro motel da região para fazer o segundo dos três que tínhamos.

O que você achou desse conto erótico?

Clique nas estrelas

Média da classificação 5 / 5. Número de votos: 3

Nenhum voto até agora! Seja o primeiro a avaliar este conto.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

free web tracker