Mulheres curiosas

Mulheres curiosas

Na viagem matinal de ônibus, pude assistir a uma conversa entre duas mulheres sentadas no banco da frente. Foi engraçado ouvir o que elas tinham a dizer, duas mulheres na faixa dos 30 e 40 anos falando sobre suas vidas amorosas e reclamando de seus relacionamentos.

Eram mulheres lindas e comentaram como se sentiram bem quando o marido entrou nelas e as consequências. Foi muito estranho e engraçado ver como eles se relacionam e como são inexperientes, apesar de serem casados.

– Isis – disse a loira – Acho estranho todos aqueles filmes onde os homens chupam muito e é branquinho, leitoso. Meu marido esguicha um pouco e fica transparente, uma vez ele me disse que os filmes eram edições e acho que devem ser.

– Ana – respondeu a ruiva – e aqueles negros de pau gigante, também não pode ser real. Quem poderia lidar com tudo isso? Meu marido tem o pau de 15cm e às vezes dói, imagina aquele bebê com pau?

Assim a conversa continuou entre comparações e reclamações. O mais engraçado foi o fato de eles acreditarem que o que tinham era o melhor, principalmente porque a mulher Ísis foi traída porque o marido tinha pouca porra e era transparente, sinal de que estava dando leite para outra pessoa. . Quanto à Ana, foi interessante, ela achava que homem com pau grande era um mito, eu estava determinado a mudar toda essa ideia.

Depois de um tempo a loira se levantou e mostrou aquela bunda linda, ela não era linda, mas tinha uma beleza especial, tinha 1,60 de altura, cintura fina, seios pequenos e pontudos, uma mulher muito interessante. Ela se despediu da amiga e desceu, deixando a outra sozinha. Eu corajosamente saí do meu lugar e sentei ao lado dela e comecei a falar como alguém que não quer nada.

– Ísis, certo? Prazer em conhecê-lo, meu nome é Eduardo.

– Como você sabe meu nome? Ela perguntou olhando para mim com aqueles lindos olhos verdes.

– Sim, desculpe a grosseria, eu estava sentado atrás de você durante a viagem e não pude deixar de ouvir sua conversa. Você levantou questões muito interessantes e sei que posso te ajudar a esclarecer suas dúvidas sobre todas elas e até melhorar seu relacionamento.

– Eu nem te conheço, por que eu deveria te ouvir ou deixar você me provar algo que não é da sua conta?

– Realmente não há motivos para esperar nada de mim, mas sei que despertei ainda mais sua curiosidade e que posso te impressionar com o que te mostro.

Então me levantei e ajustei a calça para que o volume ficasse bem perceptível, elas eram macias mas tinham um volume legal já que eu estava de jeans e sem calcinha. Seus olhos estavam colados no meu pau enquanto ela apertava as coxas e seu rosto ficava vermelho.

– Ok, pense. Estarei aqui amanhã no mesmo ônibus e no mesmo horário. Se você não quiser, prometo que não vou torturá-lo, caso contrário você me seguirá para satisfazer sua curiosidade.

Então desci do ônibus e fui para casa pensando nas mulheres deliciosas que poderiam vir para a minha cama. Foi difícil dormir, masturbei umas 15 vezes e na hora de gozar, guardei a porra, não queria desperdiçar nada, ela tinha que ver o que eu tinha para ela e ficar satisfeita com o que conseguiu.

No dia seguinte mal consegui trabalhar, fiquei tão entusiasmado quando chegou a hora que corri para trocar a camisa por uma limpa que havia trazido e passei um perfume suave e agradável para atraí-la. Quando cheguei no ônibus encontrei os dois sentados como no dia anterior e consegui sentar um pouco atrás deles.

Pude perceber que eles conversavam com certa avidez e se viravam constantemente. Essa Ana parecia estar incentivando Ísis a sair comigo enquanto ela estava relutante. Na hora de descer, Ana olhou para mim e me deu uma sugestão de sorriso, o que poderia significar que Ísis havia aceitado, ou que ela também queria o que eu havia oferecido à amiga.

Assim que ele saiu, levantei-me e retomei meu lugar ao lado da ruivinha que estava vermelha como pimenta.

– Você está linda hoje, espero que seja para mim.

– Não, as mulheres se vestem para si mesmas, não para os homens.

– Você tem razão, por isso admiro o bom gosto nas mulheres, principalmente na sua hoje.

Ela sorriu timidamente e corou novamente, então peguei suas mãos e vi que estavam frias e suadas. Ela rapidamente tirou as mãos das minhas e olhou para mim.

– Bem, acho que foi da sua parte, não foi? Não se preocupe, farei o que combinamos e não vou mais incomodá-lo.

Eu estava me levantando quando ela agarrou meu braço e me forçou a sentar novamente.

– Não, sou recém casada e não posso me expor assim com outro homem, alguém pode ver e me causar problemas.

– Então isso significa que você aceita minha proposta?

Ana estremeceu e balançou a cabeça em concordância.

– Então quero que você me escute a partir de agora para que possamos ter uma ótima experiência. Não faremos nada que você não queira, não se preocupe com isso. A que horas você tem que estar em casa?

– Meu marido só chega às 21h, então devo estar em casa às 20h30.

– Que ótimo, vamos para o próximo ponto, quero que você me diga que já preparei tudo para nós dois.

Sem dizer mais nada, levantei-me e fui em direção à porta, seguida por Ana em silêncio. Assim que descemos do ônibus fomos até meu carro que já estava colocado em um local estratégico, coloquei ela no carro e seguimos para um motel discreto próximo daquele local.

Quando entramos na sala Isis ficou ainda mais tímida e teve dificuldade em se soltar, precisei de muita conversa para fazê-la relaxar, tive que lembrá-la do motivo de estarmos ali e que faríamos apenas o que ela quisesse. Então nos sentamos na cama e eu peguei a mão dele para colocá-la no meu pau.

– Você disse que paus grandes são falsos, configuração, então sinta aqui.

Ela sentiu e pareceu espantada, não conseguia acreditar no que ouviu. Então peguei suas mãos e a levei até o banheiro onde a despi e pude apreciar aquela mulher incrível.

Ainda não descrevi ela, Isis é branca, ruiva natural, 1,50 de altura, nem gorda nem magra, bumbum menor que Ana, mas seios de silicone que são lindos. Quando a vi nua não consegui controlar minha excitação, meu pau imediatamente subiu e marcou minha calça. Para não assustá-la, fiz com que ela entrasse na banheira, que estava quase cheia, enquanto eu me despia.

Sou negra, 1,78 de altura, magra mas com corpo bem modelado e bem definido, careca por opção e pau 20×10. Isis não acreditou quando me viu nua, meu pau ainda estava um pouco duro e já estava assustando ela.

– Se você está pensando em me dar, desista, não vou tirar tudo de você, desista. Ele disse tentando se levantar.

– Calma ruiva, não faremos nada sem o seu consentimento, você pode ficar aí que eu só farei questão de te mostrar algo que prometi.

Então eu entrei na banheira, fiquei com a pena bem na frente do rosto dela, ela olhou para ela com espanto, e então eu disse para ela pegar. Ela era incrivelmente sem noção, então tive que ensiná-la a cuidar de uma vadia dessas, o que ela fez com alegria.

Quando me acostumei com o animal, falei para ela colocar na boca, ela protestou mas colocou, no começo só entrou a cabeça, mas logo subiu até a garganta e ela ficou babando de prazer. A certa altura, peguei-a no colo e forcei-a a sentar-se na beira da banheira com as pernas abertas, depois caí na sua boca naquela rata minúscula, quase de bebé. Ela nunca tinha sido chupada antes, ela fez um grande estardalhaço quando gozou.

Depois de nos lavarmos saímos do banho e fomos para a cama onde começamos a nos beijar e trocar carícias românticas, então ela me confidenciou que nunca havia se sentido assim. Mulher de 37 anos, casada há 10 anos, nunca esguichou, foi inacreditável.

Aquela frase me excitou tanto que a espalhei na cama e chupei com ainda mais vontade até ela gritar e molhar a cama inteira. Depois da recuperação ela ficou muito envergonhada, achou que tinha feito xixi na minha cara, então tive que explicar que era uma seringa, que não era xixi, mas sim ejaculação feminina. Ela ficou tão feliz que decidiu tentar fazer o monstro entrar.

Para criar o clima eu fiz ela se envolver comigo onde ela gozou de novo e fez meu pau babar. Então eu a endireitei, enfiei minha cabeça naquele buraco quase virgem e comecei a empurrar. Ela gemia e implorava por paz, quase como uma virgem, precisei de muita paciência e gel para deixar entrar, mas quando isso aconteceu também pude sentir seu útero se expandindo.

Essa mulher passou de gemidos de dor a gritos de prazer, ela gozou muito mais do que eu poderia imaginar desde que ela me ame ela disse enquanto era rolada. Quando coloquei ela de quatro, ela não acreditou que tudo estava acontecendo, bati forte e forte nela, molhando a cama com sua porra, tive que segurar ela várias vezes para ela não cair da cama.

Enquanto eu batia em sua buceta, colocava gel em sua bunda e começava a dedilhar sua bunda virgem, Isis não tinha mais forças para se conter, pois sentia tanto prazer que eu nem conseguia fazê-la cavalgar. Quando olhamos para o relógio, já eram 21h15 e havia 4 chamadas perdidas do meu marido no meu celular.

– Deus, eu tenho que ir, ele já está em casa e eu ainda estou aqui.

Ela tentou se levantar, mas não tinha forças, então deitei-a na cama e comecei a socá-la novamente, apesar dos protestos dela.

– Você acha que vou deixar você ir sem gozar? Agora o corno vai ter que esperar, vou te mostrar que macho de merda não é preguiçoso.

Rapidamente bati mais 25 vezes e depois tirei a minha pila e coloquei-a na boca e na cara dela. Ela estava toda suja e cansada, então limpei seu rosto com um lençol e fiz ela engolir o que restava em sua boca. Resolvi deixá-la na esquina da casa dela porque ela mal andava e então ela saiu do carro e enfiou a cabeça na janela e me deu um beijo antes de perguntar algo que chamou sua atenção.

– Por que a semente do marido da Ana é fina e transparente e a sua branca e grossa?

– Ela terá que tentar sozinha para descobrir.

– Você pode – disse ela rindo – Aposto que ela vai querer descobrir por si mesma, ainda mais depois do que eu contar a ela assim que chegar em casa.

Depois ela voltou para casa com um sorriso, sacudindo aquela bunda deliciosa que com certeza sempre será minha.

O que você achou desse conto erótico?

Clique nas estrelas

Média da classificação 4.3 / 5. Número de votos: 3

Nenhum voto até agora! Seja o primeiro a avaliar este conto.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

free web tracker